terça-feira, 30 de julho de 2013

Cena 1602 ~ Mistérios da humanidade: as pirâmides submersas do Japão


Desde 1995, mergulhadores e cientistas japoneses estudam uma das mais importantes descobertas arqueológicas do planeta, misteriosamente ignorada pela imprensa ocidental.

Localizada a alguns quilômetros da ilha de Yonaguni, estão os restos submersos de uma cidade muito antiga. Muito antiga MESMO! Os estudos geológicos calcularam a idade destes monumentos como tendo 11.000 anos de idade, o que os colocaria como uma das edificações mais antigas do planeta.

Ao longo de mais de uma década de explorações, mergulhadores já haviam localizado nada menos do que oito grandes estruturas feitas pelo homem, incluindo um enorme platô com mais de 200m de comprimento, uma pirâmide no mesmo estilo das aztecas e maias (constituídas de 5 andares e alinhadas de acordo com pontos cardeais), bem como um conjunto completo de zigurates, demarcando áreas e regiões específicas no platô.Assim como são “coincidências” o fato das pirâmides do Egito estarem alinhadas com a constelação de Orion (Osíris), as pirâmides encontradas na China alinharem perfeitamente com a constelação de Gêmeos, os Templos astecas de Tecnochtitlan estarem alinhados com a constelação de Urso, Angkor Wat (aqueles templos que a Lara Croft explora no Cambodja) estarem alinhados com a constelação do Dragão e assim por diante…



Uma estrutura que se pensa ser a construção mais velha do mundo, com quase duas vezes a idade das grandes pirâmides do Egito, foi recentemente descoberta. A formação retangular de pedras abaixo do mar na costa do Japão poderia ser a primeira evidência de uma desconhecida civilização anterior a Idade da Pedra, dizem os arqueólogos. O monumento tem 600 pés de largura e 90 pés de altura e foi datado com pelo menos 8.000 a.C.

Equipe do dr. Masaaki Kimura, da Universidade de Ryûkyû, exploram o sítio arqueológico submarino. Escadarias, rampas, terraços, entalhes na rocha e outros indícios da "mão humana", como ferramentas. Yonaguni pode ser o mais antigo consjunto arquitetônico da história.

No arquipélago de Ryûkyû, a 480 km a sudoeste de Okinawa - Japão, as águas em torno da ilha de Yonaguni escondem um conjunto de misteriosas ruínas magalíticas. O território, de 28,88 km² e uma população de pouco mais de mil e setecentas pessoas, atraiu a atenção de historiadores, arqueólogos e outros cientistas quando, em 1985, um mergulhador descobriu as magníficas estruturas de pedra submersas nas águas que circundam a ilha.

Quando fotos do lugar foram divulgadas, imediatamente começou a polêmica sobre a origem dos terraços e escadarias. Muitos estudiosos recusaram aceitar que as ruínas sejam de construções feitas por mão humana. As formas geométricas, os ângulos muito certos, foram atribuídos a "agentes naturais". Entretanto, outros pesquisadores afirmam que o fundo do mar de Yonaguni é o túmulo de uma próspera civilização possivelmente mais antiga que Suméria, Egito, Índia ou China.



Em 1997, dr. Masaaki Kimura, professor da Universidade de Ryûkyû, PHD em geologia marinha, publicou A Continent Lost In The Pacific Ocean, onde defende a teoria da civilização submersa; no mesmo ano, uma equipe da universidade empreendeu estudos no sítio arqueológico.

Em 04 de maio de 1998, partes da ilha e das ruínas foram sacudidas por um terremoto. Depois do abalo, foram realizadas filmagens submarinas. Constatou-se que haviam surgido novas estruturas de forma similar aos zigurats da Mesopotâmia. Estes seriam, então, os edifícios mais antigos do mundo. Foram encontradas marcas nas pedras que evidenciam o trabalho feito nelas, incluse entalhes. Também foram achadas ferramentas e uma pequena escadaria. A hipótese de formação natural em Yonaguni tornou-se, então, pouco plausivel.

O Enigma da Face
Submersa, 18 metros abaixo da superfície, surge uma cabeça megalítica, um rosto de pedra gasto pela erosão das águas que faz lembrar as cabeças de pedra de outros lugares antigos: Moais, no Pacífico; La Venta, Golfo do México.

Há 6 mil anos, as ruínas eram terras emersas, ligadas ao continente. A elevação do nível dos mares ao longo de eras fez submergir territórios como os da costa de Yonaguni. Há especulações sobre a "identidade" da civilização sepultada naquelas águas. Muitos falam em Atlântida mas, se parte de uma "civilização perdida" repousa no leito daquele mar então o mais certo é que seja a Lemúria ou Mu, ainda mais antiga, chamada pelos esotéricos de civilização da Terceira Raça.


Cena 1601


Grandes amizades não se perdem em pequenas disputas, Se se perderem, é porque não eram nem amizades, muito menos grandes.

(desconheço a autoria)

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Cena 1600 ~ Mistérios da humanidade: Arca de Noé

A imagem que o satélite Digital-Globe obteve da formação anômala no monte Ararat - Turquia. Outras imagens do local têm sido registradas por outros satélites e os pesquisadores empenham-se na análise detalhada de forma e dimensões.

O filho de Lameque e o neto de Metusalém, Noé, aparece na décima geração depois de Adão. Noé tornou-se o centro de uma das mais conhecidas histórias da Bíblia. Ele e sua família viviam num mundo tão violento e pecador que Deus decidiu que não iria permitir que a raça humana existisse mais naquela época. Mas, no meio de tanta decadência, havia um homem-NOÉ-que tinha fé em Deus e vivia de acordo com as coisas de Deus. Tão justo era Noé que Deus lhe revelou seu plano e fez uma promessa de salvar a ele e a sua família. Deus deu um projeto de 120 anos a NOÉ e disse-lhe para construir uma arca porque iria fazer cair água do céu e inundar toda a terra. Noé fez tudo o que Deus lhe ordenou e com uma idade de 600 anos presenciou tudo acontecer de acordo com o que Deus havia lhe dito. E fez da arca sua casa durante os 40 dias de chuva sobre a terra “...e tudo o que havia fôlego de espírito de vida nos seus narizes, tudo o que havia no seco, morreu.” Gênesis 7:22. E assim foi até o sétimo mês, e no dia dezessete a arca repousou sobre os Montes de “Ararate”. Gênesis 8:4. E foram as águas minguando até o décimo mês. Essa é a história que conhecemos. Mas onde estará a “arca”? Por que ninguém consegue encontrá-la ainda mais hoje em dia num mundo de tantas tecnologias e satélites que podem tirar uma foto em nítida imagem de uma pessoa aqui na terra?

Pois o fato é! Realmente estão descobrindo várias evidências desde 1883 que realmente existe uma grande embarcação no monte Ararate na Turquia. Fotos tiradas de satélites, depoimento de pessoas que dizem realmente terem chegado até a arca e evidências como uma pedra que se parece uma âncora.

Também amostras da suposta madeira da arca estão sendo analisadas e muitas inscrições em rochas encontradas na região aos redores do monte servem de fatos de que realmente existe uma arca em algum lugar por ali.


Em 17 de junho de 1949 uma missão de rotina da Força Aérea Americana fotografou a mais de 4 mil metros de altura algo muito estranho. Os especialistas analisaram as fotos e emitiram um relatório chamado “anomalia do Ararate” e foi mantido em segredo por mais de 50 anos. Mas em 1993 Porcher Taylor um estudante especializado em satélites e diplomacia começou a fazer severas perguntas sobre esses arquivos. Ele acabou desco-brindo que junto com as fotos de 1949 também haviam outras fotos tiradas por um U-2 (avião-espião) e fotos de alta resolução tiradas pela CIA em 1973 usando o satélite militar KH-9 e até fotos mais sofisticadas tiradas pela CIA através do satélite KH-11 em 1976/1990/1992. Depois de muitos esforços o serviço de defesa liberou 6 fotos das tiradas em 1949 e não foram suficientes para provar se a anomalia era uma formação rochosa ou algo construído por mãos humanas. As fotos foram tiradas de muito longe e um pouco fora de foco (1949). Mesmo depois de outras tentativas usando um satélite comercial de alta precisão as fotos tiradas no verão de Out/99 (um dos mais quentes de todos os tempos na Turquia) ainda não davam para terem certeza sobre a anomalia encontrada no monte Ararat. A espessura de gelo é muito profunda e quase impossível para se obter uma foto nítida daquele lugar.

Se a arca existe, por que então eles não conseguem encontrá-la? E por que não se organiza uma grande expedição para desvendar tudo? Primeiro: porque durante quase todo o ano o Ararat é coberto de neve. Segundo: os terroristas curdos atrapalham e atacam expedicionários que se aventuram a subir o monte; aquela é uma região muito conturbada. Nos anos 90, mais de 6 mil pessoas morreram no monte e só existe permissão para subir do lado sul, enquanto a suposta arca está no lado norte.

Um geólogo Adventista uma certa vez declarou: Talvez a maior descoberta arqueológica de todos os tempos - a arca de Noé - esteja sendo preservada providencialmente para, no momento certo, ser revelada ao mundo como um monumento, prestando silenciosamente sua homenagem ao Criador e Mantenedor da vida, o mesmo Deus que amorosamente deseja implantar em nosso ser a Sua própria imagem, para que possamos habitar eternamente em Sua companhia, no Céu e na Nova Terra finalmente restaurados.


E você, acredita na existência da Arca de Noé?

Cena 1599 ~ 1001 músicas para ouvir antes de morrer #18

Música: Under The Same Sun
Artista: Scorpions
Álbum: Face The Heat
Ano de lançamento: 1993


As músicas desta lista foram escolhidas por mim, de acordo com o meu gosto musical.

Clique aqui e veja a lista completa.

Cena 1598


É muito bom tomar posse de si. Viver a liberdade interna de ser o que bem se entende, delirar sem restrições e expressar os sentimentos somente quando se quer. É muito bom escrever a sorte de navegar nessa vida de potenciais infinitos saindo da prisão do corpo. Olhar para dentro de si e assim descobrir-se a cada segundo como um manancial de possibilidades inesgotáveis. 

sábado, 27 de julho de 2013

Cena 1597 ~ Siga-me no twitter @taina_st



sexta-feira, 26 de julho de 2013

Cena 1596 ~ 31 diferenças entre o livro e o filme de Jogos Vorazes


1) Aquisição do broche do Tordo/Mockingjay
Versão do Livro: Katniss recebeu o broche pela filha do prefeito, Madge. Isso foi uma surpresa pois ela pensava que Madge não gosta dela. O broche é explicado como sendo uma escavação sutil na Capital, pois os tordos foram o resultado de um programa cômico bio-genética de espionagem que o público em geral tornou-se gradualmente ciente e usou contra o governo.
Versão do Filme: Katniss encontra o broche em um bazar (Prego), mas não há nenhuma explicação de o porquê do broche ser considerado inflamatório para o Presidente Snow.
Nível de Mudança: Um pouco grande, pois não foi estabelecido a atitude do prefeito do 
Distrito 12, e nem o significado do Tordo. Além disso, torna Katniss a força 'pivô' por trás do símbolo, em oposição à simples utilidade, tornando-a cúmplice em seu poder por toda parte, em vez de ser arrastada pelos acontecimentos maiores do que ela.
Mudança Boa ou Ruim: Ótima. Katniss quer estar no comando de seu destino logo de cara, mas isso há alguns berços da dinâmica dos próximos dois filmes.

Cena 1595 ~ A reação de um gato ao ver seu dono que ficou 6 meses viajando

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Cena 1594 ~ O mundo mágico de Michael Cheval


Michael Cheval nasceu em 1966 em Kotelnikovo, uma pequena cidade no sul da Rússia. Ele desenvolveu paixão pela arte em sua infância. Quando a família se mudou para Cheval Alemanha em 1980, o Ocidente a cultura européia fez uma grande impressão sobre o jovem artista. Em 1986, mudou-se para o Turcomenistão e se formou na escola Ashgabad de Belas Artes. Absorvendo a filosofia e o caráter da Ásia Central, começou a trabalhar como artista independente profissional, moldando seu estilo e direção. Em 1997, ele emigrou para os EUA. Em 1998, Cheval tornou-se membro do Club de Nova York do National Arts, onde foi distinguido com o Prémio Comitê Exposição em 2000. Ele também é membro da Society for Art of Imagination desde 2002. Cheval publicou artes cheias de cor em álbuns de canções de embalar em 2004 e Natureza do absurdo em 2007.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Cena 1592 ~ Brinde da Semana Imagem Folheados (08/07 a 14/07)

Toda semana a Imagem Folheados disponibiliza inteiramente grátis para você um brinde diferente!

Realize qualquer compra acima R$ 59,00 e ganhe grátis o brinde desta semana. Você não precisa fazer absolutamente nada. Ao atingir este valor, o brinde será acrescentado automaticamente em sua cesta de compras e você o receberá juntamente com o seu pedido, sem nenhum custo adicional.

Brinco folheado a ouro com uma pedrinha de strass e pérola sintética de 7 mm.


Você gostaria de ter uma renda extra revendendo folheados e bijouterias com preço baixo e qualidade? Então acesse: http://valorizesuaimagem.vai.la

Cena 1591 ~ Universo paralelo #72

domingo, 7 de julho de 2013

Cena 1590

Tempo, tempo, tempo... objeto efêmero fruto de desespero. Quero correr atrás de ti e não consigo. Quero pegar-te em meus dedos e agarrá-lo para possuí-lo e realizar tudo o que preciso. Acho mesmo que tu és ilusão da minha fragmentada percepção. Cansei de ir atrás de ti... hoje, vou esperar que tu venhas.

Cena 1589 ~ 1001 músicas para ouvir antes de morrer #17

Música: Cryin'
Artista: Aerosmith
Álbum: Get a Grip
Ano de lançamento: 1993

As músicas desta lista foram escolhidas por mim, de acordo com o meu gosto musical.

Clique aqui e veja a lista completa

terça-feira, 2 de julho de 2013

Cena 1587 ~ Brinde da Semana Imagem Folheados (01/07 a 07/07)

Toda semana a Imagem Folheados disponibiliza inteiramente grátis para você um brinde diferente!

Realize qualquer compra acima R$ 59,00 e ganhe grátis o brinde desta semana. Você não precisa fazer absolutamente nada. Ao atingir este valor, o brinde será acrescentado automaticamente em sua cesta de compras e você o receberá juntamente com o seu pedido, sem nenhum custo adicional.

Brinco de argola folheado a ouro, feito de fio laminado com formato ovalado (tamanho médio).

Você gostaria de ter uma renda extra revendendo folheados e bijouterias com preço baixo e qualidade? Então acesse: http://valorizesuaimagem.vai.la

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Cena 1586

Fico pensando como temos a capacidade de desperdiçar nossos sentimentos tanto pelos nossos julgamentos quanto pela mania que temos de saber tudo que vai acontecer. Nos comportamos como um vidente medíocre que na verdade não sabe de nada. E aí, quanta vida perdemos... quantos momentos deixamos de viver...