domingo, 7 de julho de 2013

Cena 1590

Tempo, tempo, tempo... objeto efêmero fruto de desespero. Quero correr atrás de ti e não consigo. Quero pegar-te em meus dedos e agarrá-lo para possuí-lo e realizar tudo o que preciso. Acho mesmo que tu és ilusão da minha fragmentada percepção. Cansei de ir atrás de ti... hoje, vou esperar que tu venhas.

Nenhum comentário: