segunda-feira, 23 de julho de 2012

Cena 1472: Quando a boca cala, o corpo fala

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a criança interna tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade

Um comentário:

Pamela Sanley disse...

Amei!! ;) Saudade do seu blog!! ^^ Tem como marcar, reblogar ou algo do tipo?!rs Se não postarei apenas o link indicando a postagem original, pode ser?! BeeijO!!