domingo, 27 de fevereiro de 2011

Cena 664: Poema

O que admiro em ti
não são teus olhos lucilantes,
tua paz iniciática,
tua intuição arrojada;

o que admiro em ti
não tua voz languor,
teu coraçãozinho,
tua alma pura,
teus dentes em "n"...

...também não é o teu amor!

o que admiro em ti
é a dignidade
com que me desprezas!...

Oracy Dornelles

Nenhum comentário: