sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Cena 660: Saudade...


Ela estava deitada na cama, com seu homem ao seu lado. Usava um vestido vermelho. Ele com o peito nu e com o notebook no colo. Ela lia um livro erótico, admirando-se das aventuras sexuais descritas pela prostituta que o escreveu. Uma garota de programa, vagabunda, vadia, puta, cadela, cachorra. Ela lia as descrições e se anojava. Mas também se excitava. Se imaginava fazendo aquilo.

Foi quando resolveu tirar o computador de seu homem. E abrir seu calção. Queria vê-lo só de cueca. Foi o que fez. Ficou alisando o seu membro por cima do tecido. Gostava de perceber aquele pau ficando duro com suas carícias. Não aguentava a vontade de colocar tudo aquilo na boca. Chupava com vontade. Gostava de se sentir uma puta, chupando aquele cacete duro, enquanto ele puxava os seus cabelos e lhe chamava exatamente disso: de puta! Putinha.

Ela chupava com vontade e o provocava. "Esfrega esse cacete na minha cara". Mas a vontade mesmo era de sentir aquele pau arrombar sua boceta, a essa altura molhadinha, suplicando por aquele ferro que estava na sua boca. Quinta-feira. Noite de KY. Noite dela ser puta mais uma vez. Putooooooona!!!

Um comentário:

Blog minha vida disse...

Q história massa, adoro, pública mais q eu gosto