quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Cena 478: Colisões Atômicas

Existe um programa chamado “futuro já”. O avanço científico cresce exponencialmente, cada dia que passa, uma nova conquista, uma descoberta deixa o mundo boquiaberto. O carro terrestre mais rápido do mundo chega a incríveis 1140km/h, energia elétrica é gerada pelo simples gesto de pisar sobre uma chapa especial na prefeitura de Tóquio, olhos na ponta de um fio para auxiliar os médicos em endoscopias, etc. Parece pouco? Então veremos algo mais curioso.

O que são átomos? Átomo é a menor partícula que ainda caracteriza um elemento químico. Logo, somos compostos de átomos. Estes se agrupam para formar moléculas. Moléculas se agrupam... e aí vai a novela. Então aqui vai a pergunta: tu achas que já tocou em alguma coisa, de fato?

Caso a resposta seja sim, acho que alguém aqui não estudou física no ensino médio. Por mais “encostada” que uma coisa esteja sobre a outra, os átomos não se tocam! Insano hein? Não. Ao redor do átomo existe a eletrosfera, um espaço gigante se comparado com o tamanho do átomo. Esse espaço “protege” o átomo. Todo o atrito que acontece quando um objeto está sobre outro é devido as forças atrativas como pontes de hidrogênio, força de Van der Waals, etc.

Pois bem, vamos direto ao ponto. Na Suíça existe uma instituição chamada CERN. Esta está localizada na fronteira da Suíça com a França. No subsolo, existe um acelerador de partículas. Este acelera partículas (como o nome diz) na busca de obter resultados sobre as colisões atômicas lá dentro. Se uma partícula altamente energizada se chocar com outra a certa velocidade, pode ser criada uma partícula chamada de antimatéria. A antimatéria é nada mais nada menos que o oposto da matéria. Quando elas se encontram, o resultado é a aniquilação das duas.

Parece loucura mas dá para estudar a origem do universo nesse tubo de 27km de circunferência que se localiza a “apenas” 175m abaixo do nível do solo.

Então, o que poderia acontecer se uma antimatéria de massa considerável se encontrasse com a matéria? Uma possibilidade é que a antimatéria torne-se maior, encontre mais matéria e torne-se maior e assim, por conseguinte.

O que isso quer dizer? Um buraco negro! Isso não é um avanço e tanto? Podemos morrer na mão de cientistas sem ao menos sabermos o que eles estão fazendo, o que estão criando! Então aqui minha sugestão. Caso do nada tu acorde no paraíso, sem lembrar-se de tua morte, um acidente lá pela Suíça deve ser considerado. (risos)

Ficção? Não sei, pode ser que sim, pode ser que não. Esse é o mistério da vida, a dúvida!

Texto enviado por Stênio Zimermann.

4 comentários:

Ezequias disse...

Meu Caro Stênio,

Tenho que descordar de sua falta de informação muito grande, primeiro o Atomo não é a menor partícula, descobertas feitas foi descorbeto a existencia da mecanica quantica, se você escreveu isso talvez saiba o que seja mecanica quantica se não, google nele, que foi descoberto dentro do atomo particulas subatomicas, sendo assim menor que o atomo, até agora já foi descoberto as particulas subatomicas em mecanica quantica o seis tipos de leptão, e seis tipos de quarks, e bosons de gauge. Sendo quark uma particula elementar e fundamental para constituição da materia. (http://neutrino.aquaphoenix.com/un-esa/universe/universe-chapter3.html) (http://www2.slac.stanford.edu/vvc/theory/nuclearstability.html)

O acelerador de particulas que foi criado na CERN não tem apenas esse objetivo.
http://video.google.com/videoplay?docid=-1322493346942339345#
Documentario com os maiores fisicos da atualidade discutindo a teoria das cordas, tudo apontando que realmente possa existir ou seja sendo assim a "corda" o menor de todos. Nesse documentario também consta os propositos do que realmente o acelerador de particulas foi criado, um deles é provar que a teoria das cordas está correto demonstrando a existencia de um universo paralelo através do simples teste da teoria da Grande unificação que junta eltromagnetismo, força forte, e nucleo forte, caso após a colisão a força forte tenha desaparecido irá comprovar que tal força tenha ido para um dos universos paralelos ao nosso.
http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/8593780.stm
http://www.nytimes.com/2008/09/12/opinion/12greene.html?_r=2&oref=slogin

Teoria do buraco negro fora descartada após varios calculos sendo a possibilidade de existir um buraco negro após tal colisão ser realizada sendo próximas de nula.
Leia mais sobre que é impossivel tal buraco negro aqui:
http://doc.cern.ch/yellowrep/2003/2003-001/p1.pdf
http://public.web.cern.ch/public/en/LHC/Safety-en.html
http://arxiv.org/pdf/hep-ex/0008017v1
http://www.mathpages.com/home/kmath632/kmath632.htm
http://www.sukidog.com/jpierre/strings/

Infelizmente não posso dar nenhum crédito ao seu post.
Valeu.

Alex Olyvera disse...

Nossa gente.. como sou burro.... Supletivo,Supletivo,Supletivo,Supletivo,Supletivo. kkkkkk!

Paz sempre!!

Stênio Zimermann disse...

Ezequias, vou analisar teus argumentos.
Primeiro: tu desconsiderou que foi escrito "a menor partícula que ainda caracteriza um elemento químico". Sendo assim, está certo o que foi escrito no texto. Partículas subatomicas não caracterizam um elemento. Vou exemplificar: Méson. Partícula descoberta por um cientista brasileiro. Está contida dentro do átomo. Logo, é menor que o átomo mas ela está presente em todos os átomos, logo, ela sozinha não caracteriza um elemento químico. Entendes?

Segundo: antes de tudo parabenizo o senhor por postar mais informações sobre o LHC, entretanto, em momento algum foi escrito que esse é o único propósito dele. O propósito dele é outro, entretanto está relacionado ao choque de partículas. A relação ao buraco negro é algo extremamente remoto. Alguns chamam essa possibilidade de "ficção científica". Entretanto, não é impossível. Como o senhor mesmo descreveu, "próximas de nula", mas isso não torna nula.

E para concluir, fiquei extremamente chateado ao saber que meu post foi inútil. Achei interessante o fato de discutirmos e de tu tentar mostrar um erro sendo que foi apenas um equívoco de tua parte. Reli agora mesmo meu texto e achei bem interessante, uma vez que tem várias informações interessantes!

Obrigado pelos comentários pessoal, isso me faz muito feliz! ;D Escrever a pedido da Tainã é interessante uma vez que ela tem um blog com interesses relacionados aos meus, espero que gostem dos textos de minha autoria.

Stênio Zimermann disse...

@Alex

A escola apenas nos prepara para a vida. Não significa que saímos de lá gênios, o conhecimento é obtido com o tempo e de acordo com o interesse das pessoas. Se tu não sabe tanto quanto deseja e quer realmente aprender, ainda há tempo.

Abraço.