segunda-feira, 28 de junho de 2010

Cena 316: Entrevista da semana com Andrei Lopes

Andrei Lopes. 16 anos. Santiago, RS.
http://andreilopes.blogspot.com

Descrição do blog Mr. Lonely Forever pelo autor, Andrei Lopes:
O blog Mr. Lonely forever foi criado intencionalmente, apenas com o intuito de saber para que servia um blog. Já hoje o blog serve de fonte oficial para meus textos (poemas, contos, desabafos, etc.). Escolhi este título Mr. Lonely forever (que em inglês significa Sr. Solitário eternamente) porque os textos encontrados no blog, são muito sentimentais e um tanto melancólios, onde descrevo minhas dores e como é ser um pouco "solitário".

Em que público você pensa na hora de escrever seus textos? Para quem é direcionado o que você escreve?
Geralmente é direcionado para as pessoas que me fazem me sentir triste solitário, ou até mesmo para meus próprios medos e angústias.

Qual texto seu você considera sua obra-prima e por quê?
Eu não considero nenhum texto isolado uma obra-prima. Sempre que eu releio-os eu os vejo de forma diferente um do outro, da forma como eu sentia quando escrevi. Porém eu gosto bastante de um chamado Meu Medo talvez por ter sido o primeiro poema que eu escrevi no contexto Mr. Lonely forever e poder demonstrar um pouco do "meu medo" no momento em que transcrevi aquelas palavras.

Sobre quais assuntos você mais gosta de escrever?
Sobre sentimentos, dores, mágoas, tristezas. Inclusive não escrevi nada ainda que fugisse disso.

É mais elogiado ou mais criticado pelo que escreve?
Elogiado. Talvez as pessoas que tenham lido meus textos tenham realmente gostado, ou talvez elas não tiveram coragem de dizer o que realmente acharam. Eu gosto muito de receber críticas, mas críticas consistentes, que me façam entender que realmente estou errado talvez.

Pretende escrever algum livro? Em que estilo?
É uma possibilidade. Já tenho duas histórias meio que em andamento, mas não sei se publicarei alguma delas em livro. Talvez um e-book saia de algum deles, mas tudo dependerá do resultado final e da crítica de meu padrinho literário Márcio Brasil e outros amigos que tenho. Estas histórias tratam-se de romances, no qual uma delas pende um mais para ficção e fantasia e outra descrevendo a vida perturbada de um homossexual.

Como você se define como pessoa?
Olha, não gosto de responder perguntas assim pra não me confundirem como uma pessoa abusada. e não sou abusado e não gosto de quem é... mas basta saber que sou uma pessoa legal quando tem que ser e amigo de quem quer que eu seja!

Você é o que escreve?
Sim. Tudo o que eu escrevo eu procuro deixar o mais parecido comigo e com a minha situação. Às vezes pode parecer meio contraditório, mas é assim que eu sou, meio difícil de entender de vez em quando.

Como você está se preparando para a mudança de cidade, ambiente?
Está sendo um momento de muitas expectativas e ao mesmo tempo, um momento muito difícil. Expectativas de como será minha “vida nova”, a faculdade, o novo ambiente, novas responsabilidades, e difícil por terei de deixar por um bom tempo a convivência com as pessoas daqui, com meus amigos, com o ambiente daqui inclusive. É difícil ter de deixar os grandes e velhos amigos, mas por sorte não será para sempre. Eu voltarei visitar minha cidade de vez em quando para rever meus amigos e matar a saudade que, tenho certeza, será grande desde o primeiro dia fora daqui.

Quando está apaixonado, você é do tipo que se entrega totalmente, ou age com uma certa cautela?
Eu prometo que tento agir com cautela, analisar a situação, ver se a pessoa está realmente interessada, mas sempre acabo me entregando. Basta eu conhecer um pouco mais a pessoa, conversar bastante e já ter um sentimento por ela que eu me entrego totalmente, como você diz. Já sofri muito por isso, mas não adianta, é uma das minhas deixas.

Você é influenciável?
Acredito que nem eu e nem ninguém é influenciável. Por exemplo: tenho amigos que gostam de rock’n’roll, mas eu não e não consigo ouvir. Não me faz bem. Acredito que se você gosta de alguma coisa é porque já tem a ver com você e com sua personalidade, e se algum dos seus amigos também gosta não é porque você foi influenciado ou induziu o outro a gostar também, e sim porque há uma parecença de gostos e personalidades.

Onde você espera estar daqui a 10 anos?
Em algum lugar onde eu possa estar fazendo algo, sendo reconhecido por isso, na companhia dos amigos que eu conquistei e ainda poder continuar sendo um “Mr. Lonely”. Pode ser aqui em Santiago, em Santa Maria, ou em qualquer lugar.

Considerações finais:
Primeiramente quero agradecer a Tainã pela oportunidade de estar participando por aqui, e agradecer a todos que têm me acompanhado e me dando força e estímulo para continuar. Gostaria de deixar aqui o nome de algumas pessoas que eu gostaria de agradecer em especial também: Márcio Brasil, Lígia Rosso, Luciele Dorneles, Vanessa Kayren, Maique Martins e Catiane. E só o que eu tenho a dizer, para finalizar, é que quem me conhece, poderá contar sempre comigo, e que todos que quiserem, terão um pouco do Mr Lonely por muito tempo. Isso é só começo.



Gostaria de ver alguém em especial aqui? Me envie um e-mail: taina.steinmetz@bol.com.br.

2 comentários:

❧Stéfani❧ disse...

Gostei muito da entrevista. Achei legal sua iniciativa de falar sobre outros blogueiros.

Beijos e até mais

Márcio Brasil disse...

Parabéns pelas entrevistas, Tainã. O Andrei é um excelente jovem escritor. Tem um talento fantástico e que recém está desabrochando. Tudo o que eu peço a ele é que mantenha a humildade e o senso crítico sempre. Ele vai crescer muito!
Um abração!!