sexta-feira, 4 de junho de 2010

Cena 274: Leitura

Parece que, para algumas pessoas, a leitura em excesso atrofia o cérebro. A criatura tem tanta, mas tanta informação de tanto livro, que quase chega ao ponto de não ter ideia própria. Você conversa querendo saber o que ela pensa e só escuta citações de livros dos 'grandes' escritores. Fica parecendo aqueles livrinhos de bolso, cheios de frases bonitas e óbvias. Não me interesso em saber sobre o que ela lê, mas sobre o que ela pensa. Sobre o que ela realmente pensa.

Mas, afinal, qual o conceito de leitura? Aquele monte de livros que me empurraram guela abaixo no ensino médio não serviram de nada. Quer dizer, fizeram com que eu passasse a detestar a literatura brasileira.

Ler é status social? O que 'ler' significa hoje? Ler para que, ou quem? Passar um dia nteiro numa biblioteca ou ter 1000 livros em casa é 'bonito'? Como que há 10 ou 15 anos nem se falava nisso, e agora falam direto? O que acontecia tempo atrás, e o que acontece hoje para ser dada importância quase vital a isso? Tem que ler, mas e questionar o que se lê?

Eu não leio e não gosto de ler. Pelo menos, não o que chamam de 'verdadeira literatura'. Ler, para mim, é uma atividade altamente entediante. Eu poderia estar pensando!

Mas claro, tudo é questão de opinião. Essa é a minha. E ela não vai mudar, você concordando ou não.

7 comentários:

Washington Benjamin disse...

Eu louvo o conhecimento, mas, tá cheio de pseudo-Intelectual ou intelectual prepotente que se preocupa com o efeito estético de suas posições, pessoas acadêmicas que “se acham” melhores que os “mortais”. A humildade é bem vinda em todas as pessoas. Prefiro as pessoas símplices.
Abraços.

Zergui disse...

Onde você escreveu: "Ler, é uma atividade altamente entediante" eu lembrei-me imediatamente do livro "Os Sertões", de Machado de Assis.
Confesso; por 3 vezes eu tentei mas não consegui levar adiante a leitura.

Em contrapartida, há vários livros em que eu senti como fazendo parte de cada personagem, tamanho o realismo no modo de expor o imaginário do autor.

Eu leio porque gosto. Aprendi a raciocinar sobre muitos aspectos da vida.

E o discernimento nos induz a compartilhar o que de melhor assimilamos; é o que você oferece aqui em seu espaço virtual assim como tantos outros internautas que povoam a blogosfera.

Muito bom.

Henrik disse...

Eu leio e gosto de ler, sobretudo leio e gosto de ler para depois poder pensar livremente.Estamos portanto em cantos diametralmente opostos. Creio que existe, de facto, muita gente que fala de livros e não exprime pensamentos próprios. Todavia eu conheço o reverso da medalha: gente que opina sobre tudo e em particular sobre o que não sabe. No fundo são dois tipos de pessoa bastante idênticos opinam sobre tudo sem pensar primeiro no que se diz ou quer dizer. Eu detestei a maioria das leituras que me obrigaram a ler na escola até descobrir um autor português: Vergílio Ferreira. No entanto eu sempre gostei de ler, mas eu leio por razões mais simples, gosto de viajar, tanto fisicamente como mentalmente, e leitura permite-me viajar pelas veredas da imaginação. No entanto eu não tento impor esse meu gosto a ninguém, quem quer ler, leia, quem não quer ler, não leia. Importa isso sim é que se pense sobre o que se lê oue então que se pense simplesmente. Nada do que eu digo pode mudar as tuas convicções, nem tal quero, mas deixa-me dizer o seguinte: já alguma vez ponderaste que haja quem leia para descobrir novas formas de pensar? É que eu conheço uns quantos. Nem tudo é preto no branco. Por fim, se há algo que admiro é essa frontalidade, não gostas de ler, assumir é um acto de inteligência. Só pergunto o seguinte: e quando andas pelos blogues, ou a escrever neste, não lês? É que a leitura é muito mais que agarrar num livro. É só uma ideia. :-P
beijos.

Luciana Nogueira disse...

Na verdade eu acho que o problema não é nem ler demais, porque a maioria das pessoas lê por inércia e um mês depois nem sabe mais o nome do personagem principal da história - e esse sim é o problema. As pessoas perderam o senso crítico hoje em dia ¬¬

Giovani Pasini disse...

Gostei do início,
discordo do meio e o fim ainda não consegui ler. A internet da bete é uma porcaria.

Quando chegar em Santa Maria eu te respondo!

Abraços

Giovani Pasini disse...

Sobre atrofiar o cérebro, eu concordo contigo. A leitura não deve ser passiva (ler e concordar). Pelo contrário, a leitura deve ser ativa. Se puder ler "A Arte de Escrever" de Schopenhauer, acredito que tu gostaria. O teu pensamento é bem parecido com o dele...

A leitura é válida para a vida. Entretanto, concordo contigo que ela só é válida quando feita voluntariamente.

Infelizmente vivemos a ditadura do vestibular.

Gostei do teu texto!
Faz pensar.
Abraços

Poesia Cibernetica disse...

Eu leio pq tenho curiosidade de tudo e uma coisa vai puxando a outra. Os grandes classicos brasileiros eu li poucos. Detesto livros que ficam te enrolando " Ela usava um casaco vermelho, tinha os labios da mesma cor..." Eu gosto da leitura direta, seca, sem frescuras... Mas alguns autores te pegam e vc acaba indo junto. Então boa leitura ( ou não).