quinta-feira, 22 de abril de 2010

Cena 244: O tempo não cura tudo...

Aliás o tempo não cura nada, apenas desloca o incurável do centro das atenções.

Caio Fernando Abreu

4 comentários:

Henrik disse...

Costumo usar uma variação da frase: "o tempo cura todas as feridas", digo antes: "O tempo fere todas as curas."

Luciana Nogueira disse...

Se não me engano, foi Caio Fernando Abreu quem disse que o tempo não se encarrega de matar desejos, mas apenas de substituir os personagens. É uma das coisas mais certas que eu já ouvi (:

Lígia Rosso disse...

Tainã...eu simplesmente adoro esse pensamento. É uma reflexão complexa e muito verdadeira. Te roubei ele ok...vou por no meu blog. Bjus. Gêmula...

Lígia Rosso disse...

"Para mim, atualmente, companheirismo e lealdade são meio sinônimos de felicidade. Meus amigos são muito fortes e muito profundos, são amigos de fé, para quem eu posso telefonar às cinco da manhã e dizer: olha, estou querendo me matar, o que eu faço? Eles me dão liberdade para isso, não tenho relações rápidas, quer dizer, tenho porque todo mundo tem, mas procuro sempre aprofundar. E isso é felicidade, você poder contar com os outros, se sentir cuidado, protegido. Dei esse exemplo meio barra pesada de me matar....esquece, posso ligar para ver o nascer do sol no Ibirapuera às cinco da manhã. Já fiz isso, inclusive."
Caio Fernando Abreu
Dedico pra ti essas palavras dele...bjus