quinta-feira, 8 de abril de 2010

Cena 230: O verdadeiro amor

O verdadeiro amor não traz consigo sofrimento, egoísmo, ciúmes ou orgulho. Amar é dar o melhor de si pela pessoa amada, sem necessidade de propriedade ou retribuições. Quem ama confia, respeita e perdoa.

7 comentários:

Henrik disse...

P.s. deixei comentário ao teu comentário no meu blog. ^^

Henrik disse...

Não sei, nunca soube, a definição de "verdadeiro" amor, poia para mim todos os amores são verdadeiros. Em todo o caso, concordo com este texto, acho até que amar envolve todo o corpo: um salto para o abismo de olhos fechados, sem medo. Amar, é amar com o corpo todo sem medos. :)

Henrik disse...

Gosto dessa ideia de viver fora de mim, para ser encontrado...gosto da forma como pensas...^^

Henrik disse...

Gosto dessa ideia de viver fora de nós...melhor maneira de ser encontrado...gosto mesmo muito do que vai aparecendo aqui...parabéns! Brasil, abençoado sejas! x)

Sr do Vale disse...

Tainã, tá bom eu quebro essa.

Jonathas Nascimento disse...

Olá,
A descrição do teu perfil é instigante, crua e sincera. O conteúdo um bucado intrigante. Gosto disso: "Eu permaneço fora de mim, como sempre. É o melhor lugar para ser encontrada", há algo de muito sedutor nas plavaras, e não posso deixar de dizer que combina muito com a foto ao lado.

Abraços,

Fred Matos disse...

Eu penso assim também, Tainã.
Ótimo domingo
Beijos