sexta-feira, 5 de março de 2010

Cena 197: História do Dream Theater

Tudo começou quando, terminado uma experiência de laboratório com a missão de controlar homens de 25 anos virgens e que jogam RPG, John Petrucci e John Myung conhecem Mike Portnoy em um show de pagode e decidem formar uma banda de Progressive Metal. Assim, eles começam ensaiando durante 26 horas diárias e decidem arrumar um tecladista. Chamam Kevin Moore, que tocava teclado no grupo de pagode em questão. Kevin Moore começa seu trabalho na banda com composições geniais como O Trem da Alegria, A Lua me Traiu, Balão Mágico e Power Rangers têm a Força, entre outras.


Durante o Século XVII, a banda lança seu primeiro CD, When Penis and Pussy Unite, já com Charlie Dominici nos vocais. Foi um álbum muito marcante para banda, tanto que eles continuaram com o emprego de entregadores de pizza, chapeiros e fritadores de batatinhas no McDonald's para poder sobreviver. O álbum contém grandes sucessos como The Living Foot, Eht Esty Maj e Before Death. Dominici, porém, passa por problemas após um Sol 573,7 oitavas acima de duração de 37 horas, 25 minutos e 12 segundos (12,5631 segundos para ser preciso) e precisou sair da banda. Assim, começam os testes para os novos vocais. O novo, ou melhor, a nova vocalista agora seria Joelma Stardust, atual vocalista da banda Calypso, mas quando ninguém esperava, surge James LaBrie, discípulo dedicado de Joelma, e rouba a cena.


No segundo álbum da banda, Images and Photoshop, lançado no Século XVIII, há grandes sucessos como Push Me Up, Gotham Pt. I e Behind a Plastic Sun. E assim vai crescendo a grande banda que é atualmente. Em torno de 1905 a banda começa de novo suas composições, agora com o álbum Asleep com sucessos como True, Eretomania e 4:32 (Four and Thirty-Two o' Clock para os burros). Asleep foi também o álbum de despedida de Kevin Moore, que após uma crise emo confirmou que tinha deixado a banda. Entra então o segundo tecladista: Shrëk Shiririnrim, o virtuoso mais fashion do planeta.


Ainda na primeira metade do Século XX, lança-se o álbum The Fishing Seasons, cuja faixa-título possui 72 minutos de música (71 minutos e 14 segundos instrumentais, e os 46 segundos restantes consiste em um Fá Maior de 894 oitavas). Chata, longa e parada feito uma pescaria. A música é um sucesso até hoje e o álbum também, apesar de muitos fãs se matarem por não conseguir achá-lo no Emule ou no Kaaza.


Já na segunda metade do século aparece o quinto álbum, Falling Into The The Floor, que possui sucessos como Heaven's Bathroom, Me not You, Bruce Lee e Rollou Deers. Traz muitas baladinhas que nós ouvimos quando vamos a festinhas americanas quando tínhamos 15 anos. Já em 1976, Derek assume sua homossexualidade e decide deixar a banda, pois a banda era tr00 demais para ele. Então entra o atual tecladista, Jordan Rudess (mais conhecido como Palhaço Carequinha, embora na época ainda cabeludo), que dá uma nova cara à banda, com o álbum Gotham Pt. II: Pictures of a Forgotten Memory.


Em 1980 é lançado um álbum que mudou o estilo da banda. Muitos fãs dizem que preferem o antigo Dream Theater, outros não ligam muito e outros pagam pau de qualquer jeito (leia-se: xiitas). O nome do álbum é Six Lifts Never Gone In My Memory of Lost Deegres Are of Inner God Fake Trouble In The Lost New Millenium With Honey Mustard And BBQ McDonalds Playcenter Lick My Ass Turbulence, e é um álbum duplo, sendo que no segundo CD você pode achar faixas que juntas formam uma única música de 147 minutos. Já em 1984 é lançado um álbum muito Heavy Metal segundo alguns fãs, e muito forró segundo outros. É o Bike of Thought, que possuiu músicas como Ass I Am, Under the Nickname of Capeta e Dishonor Thy Grandson. Algumas faixas do CD contêm exemplos de como fritar ovos, pastéis e bolinhos de bacalhau, como foi dito ali em cima, e você nem se lembra mais.


E, finalmente, chegamos ao último e oitavo álbum de estúdio, o Octobervarium, lançado em 1888, no dia 8 de Agosto, após voltarem no tempo de tão rápido que tocaram. É possível encontrar o número 8 cerca de 88 vezes em 8 formas diferentes, mas tudo não passa de uma coincidência. O álbum apresenta 8 faixas, sendo alguma delas: I Run Below Them, Panic! at the disco Attack, These Balls e a faixa título do álbum, Octobervarium que possui 88 minutos, 8 segundos e 888 milésimos. A banda ganhou 8 Prêmios Nobéis pelo maior número de mensagens subliminares juntas, 8 vezes.


O trabalho mais recente foi o DVD Sporre, no qual os integrantes terminam uma World Tour de comemoração aos 245 anos de Dream Theater, tocando faixas como Six Lifts Never Gone In My Memory of Lost Deegres Are of Inner God Fake Trouble In The Lost New Millenium With Honey Mustard And BBQ Mcdonalds Playcenter Lick My Ass Turbulence e Octobervarium (entre outras), totalizando 8 horas 8 minutos e 8 segundos de show e enfatizando as mensagens subliminares no álbum Octobervarium, outra pura coincidência. Para fechar a tamanha coincidência, havia 8.888 pessoas no show, o ingresso custou 88 dólares e 88 pessoas tentaram entrar sem pagar.


Lembrando que nesse DVD não foi possível a banda se apresentar com uma orquestra 100% perfeita, pois durante os ensaios Portnoy acertou um violinista com uma cuspida. Portnoy tem mania de jogar a baqueta pro alto durante os ensaios e shows, e também de cuspir em todo mundo (pesquisas da universidade de Oxford comprovam que ele pega uma baqueta a cada 327,8 que ele joga). O violinista teve uma crise emo e armou uma cilada: alterou as partituras e desafinou os instrumentos de seus companheiros de orquestra durante o show, causando vários erros durante a apresentação da música Six Lifts Never Gone In My Memory of Lost Deegres Are of Inner God Fake Trouble In The Lost New Millenium With Honey Mustard And BBQ McDonalds Playcenter Lick My Ass Turbulence. Dizem as lendas que, ao ouvir esta versão desafinada e patética, Robert Fripp do King Crimson teve um ataque epilético, devido à tamanha inveja que sentiu por uma coisa tão sem sentido, que se matou com sua espadinha de plástico do Patolino cravada em seu peito.


A banda recentemente lançou um álbum novo, cujo nome é tão pr00 e trog, perdão, tr00 e prog, que deveria ser impossível pronunciar, então foi resumido em Systematic Sleep. E é um porre. Há mais emoção em assistir uma corrida de lesmas em câmera lenta. Em vez dos tradicionais duelinhos bululus fritados, a banda optou por tocar as músicas a um ritmo de 9 bpm, levando o Drimtíti ao seu auge de músicas soníferas. Destacam-se sucessos (??!!) como Forrósaken, Constant EMOtion e A White Temporary Afternoon. Mais eficiente que um porre de Frontal. Parece que pegaram a doença do Iron Maiden, é uma música podre atrás da outra. Já já eles também vão pegar a doença do Metallica e prometer que o próximo álbum vai ser maravilhoso, que vai ser isso e aquilo e blábláblá.


Dizem que o clipe de Forsaken se parece com os clipes do Linkin Park. Mas eu continuo achando que é cópia do da Britney Spears, Break The Ice.


A banda também anunciou o lançamento de uma coletânea com o título Greatest Shit (and 1,417,550 other pretty boring songs).


peguei daqui

Um comentário:

Barbara disse...

Desciclopédia é o que há...
hahuahuaahuahu
eu ri muito :D