quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Cena 168: Desabafo

Dá vontade de mandar meia dúzia de gente tomar no cu e correr pra casa chorando, se trancar no quarto pra tomar um toddy e jogar playstation até ficar vesga. Isso de escolher qual cara eu vou vestir hoje fode com tudo. Sempre. É, eu confesso que não é exatamente a realidade que eu esperava encontrar. Talvez isso mude. Talvez você entre na minha vida sem tocar a campainha e me sequestre de uma vez. Talvez você pule esses três ou quatro muros que nos separam e segure a minha mão, assim, ofegante, pra nunca mais soltar. Talvez você ainda possa pular no rio e me salvar. Ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor. Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia.

Caio Fernando Abreu

3 comentários:

Washington Benjamin disse...

À noite me leva com ela...
Talvez amanhã esteja melhor
E se cada coisa te parece mudada
Talvez seja você que não as observou?
O céu no escuro é um cenário,
Talvez um pano escuro de fundo...
Tenho uma noite de insônia...
Eu que não consigo mostrar emoções...
Não consigo mais chorar...
Fizeram-nos acreditar numa ida sem volta...
Gasto outro dia escondendo-me do nada
E o nada é passado que você deixou para trás.
Deito e durmo um sono tranqüilo.
À noite se deve dormir
E cada pensamento clarear.
Se a sua vida te parece diferente
Talvez você que não seja mais a mesma.
O céu pode se iluminar
Nossas vidas podem mudar.
Mas... Eu... Desperdiçando mais um dia
Pra viver e recomeçar,
E sonhar com um céu azul no horizonte sem nuvens.

alezandri disse...

Faz muito bem desabafar essas cenas para fora da alma.

Mas não deixe que lhe façam chorar um minuto após o outro, pode ficar um mau hábito, que com o tempo poderá inundar o seu corpo de tristezas e cores cinzentas.

Prefira a brisa suave e refrescante de dias que a irradiam de sorrisos ;)

Eu sei que pode ser fácil falar para quem está por fora dos assuntos, mas acredite que tenho imensas experiências próprias sobre caminhos sinuosos, e tem sido a reaprendendo a ser novamente criança, que sei dizer que Sou Feliz.

beijo.

Luciana Nogueira disse...

O que realmente fode com tudo é não conseguir escapar da multidão que nos sufoca - e, pior ainda, não ter como escapar de si mesma.

Aliás, adorei o template novo, Tainã! Um beijo :'D