terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cena 159: Vazio, dor...

Eu nunca havia me sentido tão vazia.
Vazia.
Um vazio preenchido de dor. Uma dor maior que tudo. Capaz de me deixar inerte por horas, por dias. Parecia que iria durar para sempre. Era como se ela se tornasse um casulo, me protegendo do mundo. Me protegendo de mim.
Eu odiava a maneira como aquela dor surgia, sempre nos momento em que eu estava em paz.
Às vezes a dor se tornava tão real que o coração batia mais devagar, a respiração ficava mais difícil, o corpo todo adormecia. Eu era capaz de escutar cada batida do coração. Pareciam estrondos.
Eu pensei que não conseguiria suportar o peso do mundo que você deixou para mim quando se foi, mas à medida que foi passando o tempo, entendi que isso só fez com que nossa ligação ficasse mais forte, apesar de você não admitir.
Mesmo que nossos corpos não se encontrem mais, eu ainda tenho a certeza de te amar mais uma vez na vida.
Em outra vida.

3 comentários:

Ág disse...

Acho que compartilho de todos estes sentimentos. o_o'

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Esse tipo de dor dói de verdade... !


Beijo imenso, menina linda.


Rebeca


-

TREVAS disse...

ótimas frases de uma mulher apaixonada.

Você teria msn?