sábado, 30 de janeiro de 2010

Cena 166: Sol e Lua

Quando o SOL e a LUA se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor. Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final... o brilho! Ficou decidido também que o SOL iluminaria o dia e que a LUA iluminaria a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados. Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam. A LUA foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado, ela foi se tornando solitária. O SOL por sua vez havia ganhado um título de nobreza "ASTRO REI", mas isso também não o fez feliz. Deus então chamou-os e explicou-lhes: “Vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio. Você LUA, iluminará as noites frias e quentes, encantará os enamorados e será diversas vezes motivo de poesias. Quanto a você SOL, sustentará esse título porque será o mais importante dos astros, iluminará a terra durante o dia, fornecerá calor para o ser humano e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes”. A LUA entristeceu-se muito com seu terrível destino e chorou dias a fio... já o SOL ao vê-la sofrer tanto, decidiu que não poderia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por Deus. No entanto sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a ELE: Senhor, ajude a LUA por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão... E Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia a ela. A LUA sempre que está muito triste recorre as estrelas que fazem de tudo para consolá-la, mas quase sempre não conseguem. Hoje eles vivem assim... separados, o SOL finge que é feliz, a LUA não consegue esconder que é triste. O SOL ainda esquenta de paixão pela LUA e ela ainda vive na escuridão da saudade. Dizem que a ordem de Deus era que a LUA deveria ser sempre cheia e luminosa, mas ela não consegue isso... porque ela é mulher, e uma mulher tem fases. Quando feliz consegue ser cheia, mas quando infeliz é minguante e quando minguante nem sequer é possível ver o seu brilho. LUA e SOL seguem seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca. Humanos tentam a todo instante conquistá-la, como se isso fosse possível. Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles jamais conseguiu trazê-la até a terra, nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la, por mais que achem que sim. Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível, nem mesmo o da LUA e o do SOL... e foi aí então que ele criou o eclipse. Hoje SOL e LUA vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer. Quando você olhar para o céu a partir de agora e ver que o SOL encobriu a LUA é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar e é ao ato desse amor que se deu o nome de eclipse. Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que aconselha-se não olhar para o céu nesse momento, seus olhos podem cegar de ver tanto amor. Bem, mas na terra também existe sol e lua... e portanto existe eclipse.... mas essa era a única parte da história que você já sabia, não era?

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Cena 165: Eu prometo...

De todos os amores por mim vividos até hoje, o seu foi o mais intenso.
De todas as almas, a sua foi a mais gêmea.
De toda a vontade de ficar junto, a que me domina é a sua.
De toda ânsia de cometer loucuras, a sua foi a que mais me atentou.
De todas as esperanças em amores depositadas, o seu foi o que teve mais crédito.
De toda a saudade, a sua foi a mais forte.
De todos os beijos, o seu foi o mais gostoso.
De todo calor, o seu foi o mais ardente.
Por isso de todos os amores eternos por mim prometidos, o seu será o único cumprido a risca.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Cena 164: Rei Stephen

Para mim, as histórias surgem em momentos e lugares diferentes: no carro, no chuveiro, enquanto caminho, até mesmo em meio a uma festa ou uma reunião. Em umas duas vezes, as histórias surgiram em sonhos. Entretanto, é muito raro que eu comece a escrever assim que a idéia me vem, e não costumo manter uma "caderneta com idéias". Não anotar idéias é um excercício de autopreservação. Consigo um bocado delas, porém apenas uma pequena porcentagem tem qualquer validade, de maneira que as confino em uma espécie de arquivo mental. Eventualmente, as idéias imprestáveis terminam autodestruindo-se nesse "arquivo", como a gravação enviada pelo Controle, no início de cada episódio da série "Missão: Impossível". Com as boas, não é isto que acontece. De vez em quando, ao abrir a gaveta do arquivo para dar uma espiada no que ficou lá dentro, esse pequeno punhado de idéias levanta os olhos para mim, cada qual com sua própria e vívida imagem central.

Os Langoliers (Stephen King)

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Cena 163: Caminho

Embora eu tenha perdido meu caminho, todos os caminhos me levam a você.

Evanescence

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Cena 162: Ajuda psicológica no msn!

Sabe quando você chega em casa e precisa desabafar ou está com trocentas dúvidas na cabeça e precisa conversar, não encontra ninguém e começa a entrar em desespero?

Então! Seus problemas acabaram!

Adicione no msn: group1088282@groupsim.com.

Grupo de ajuda com troca de experiências, ou simplesmente papo furado para distrair a mente.

Um agradecimento especial ao Body MF Count.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Cena 161: Amor...

Amor não é algo que o faz sair do chão e o transporta para lugares que você nunca viu. O nome disso é avião.
Amor não é uma coisa que você esconde dentro de si e não mostra para ninguém. Isso se chama vibrador.
Amor não é uma coisa que te faz perder a respiração e a fala. O nome disso é bronquite asmática.
Amor não é uma coisa que chega de repente e o transforma em refém. Isso se chama seqüestrador.
Amor não é uma coisa que voa alto no céu e deixa sua marca por onde passa. Isso se chama pombo com diarréia.
Amor não é uma coisa que você pode prender ou botar para fora de casa quando bem entender. Isso se chama cachorro.
Amor não é uma coisa que lança uma luz sobre ti, te leva para ver as estrelas e te traz de volta com algo dele dentro de ti. Isso se chama alienígena.
Amor não é uma coisa que desapareceu e que, se encontrado, poderia mudar o que está diante de você. Isso se chama controle remoto de TV.
Amor? Amor é outra coisa... É amizade, respeito, parceria, e é muito, muito simples! E o principal de tudo: Amor é ser Livre!!!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Cena 160: Vende-se CDs de música clássica

Oportunidade para os amantes de música clássica!
Vende-se CD's originais, semi-novos, alguns foram escutados poucas vezes. São mais de 100 CD's e tem de tudo: Chopin, Beethoven, Mozart, Vivaldi, Bach e muito mais. Cada um por R$ 10,00, mas pode-se negociar.

Tratar pelo fone (55) 8422-1772. Ou pelo e-mail taina.steinmetz@bol.com.br.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cena 159: Vazio, dor...

Eu nunca havia me sentido tão vazia.
Vazia.
Um vazio preenchido de dor. Uma dor maior que tudo. Capaz de me deixar inerte por horas, por dias. Parecia que iria durar para sempre. Era como se ela se tornasse um casulo, me protegendo do mundo. Me protegendo de mim.
Eu odiava a maneira como aquela dor surgia, sempre nos momento em que eu estava em paz.
Às vezes a dor se tornava tão real que o coração batia mais devagar, a respiração ficava mais difícil, o corpo todo adormecia. Eu era capaz de escutar cada batida do coração. Pareciam estrondos.
Eu pensei que não conseguiria suportar o peso do mundo que você deixou para mim quando se foi, mas à medida que foi passando o tempo, entendi que isso só fez com que nossa ligação ficasse mais forte, apesar de você não admitir.
Mesmo que nossos corpos não se encontrem mais, eu ainda tenho a certeza de te amar mais uma vez na vida.
Em outra vida.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Cena 158: Não cante canções de ninar para crianças!

Conversa entre duas crianças:

- E aí, véio?

- Beleza, cara?

- Ah, mais ou menos. Ando meio chateado com algumas coisas.

- Quer conversar sobre isso?

- É a minha mãe. Sei lá, ela anda falando umas coisas estranhas, me botando um terror, sabe?

- Como assim?

- Por exemplo: há alguns dias, antes de dormir, ela veio com um papo doido aí. Mandou eu dormir logo senão uma tal de Cuca ia vir me pegar. Mas eu nem sei quem é essa Cuca, pô. O que eu fiz pra essa mina querer me pegar? Você me conhece desde que eu nasci, já me viu mexer com alguém?

- Nunca.

- Pois é. Mas o pior veio depois. O papo doido continuou. Minha mãe disse que quando a tal da Cuca viesse, eu ia estar sozinho, porque meu pai tinha ido pra roça e minha mãe passear. Mas tipo, o que meu pai foi fazer na roça? E mais: como minha mãe foi passear se eu tava vendo ela ali na minha frente? Será que eu sou adotado, cara?

- Sabe a sua vizinha ali da casa amarela? Minha mãe diz que ela tem uma hortinha no fundo do quintal. Planta vários legumes. Será que sua mãe não quis dizer que seu pai deu um pulo por lá?

- Hmmmm. pode ser. Mas o que será que ele foi fazer lá? VIXE! Será que meu pai tem um caso com a vizinha?

- Como assim, véio?

- Pô, ela deixou bem claro que a minha mãe tinha ido passear. Então ela não é minha mãe. Se meu pai foi na casa da vizinha, vai ver eles dois tão de caso. Ele passou lá, pegou ela e os dois foram passear. É isso, cara. Eu sou filho da vizinha. Só pode!

- Calma, maninho. Você tá nervoso e não pode tirar conclusões precipitadas.

- Sei lá. Por um lado pode até ser melhor assim, viu? Fiquei sabendo de umas coisas estranhas sobre a minha mãe.

- Tipo o quê?

- Ela me contou um dia desses que pegou um pau e atirou em um gato. Assim, do nada. Puta maldade, meu! Vê se isso é coisa que se faça com o bichano!

- Caramba! Mas por que ela fez isso?

- Pra matar o gato. Pura maldade mesmo. Mas parece que o gato não morreu.

- Ainda bem. Pô, sua mãe é perturbada, cara.

- E sabe a Francisca ali da esquina?

- A Dona Chica? Sei sim.

- Parece que ela tava junto na hora e não fez nada. Só ficou lá, paradona, admirada vendo o gato berrar de dor.

- Putz grila. Esses adultos às vezes fazem cada coisa que não dá pra entender.

- Pois é. Vai ver é até melhor ela não ser minha mãe, né? Ela me contou isso de boa, cantando, sabe? Como se estivesse feliz por ter feito essa selvageria. Um absurdo.. E eu percebo também que ela não gosta muito de mim. Esses dias ela ficou tentando me assustar, fazendo um monte de careta. Eu não achei legal, né. Aí ela começou a falar que ia chamar um boi com cara preta pra me levar embora.

- Nossa, véio. Com certeza ela não é sua mãe.. Nunca que uma mãe ia fazer isso com o filho.

- Mas é ruim saber que o casamento deles é essa zona, né? Que meu pai sai com a vizinha e tal. Apesar que eu acho que ele também leva uns chifres, sabe? Um dia ela me contou que lá no bosque do final da rua mora um cara, que eu imagino que deva ser muito bonitão, porque ela chama ele de 'Anjo'. E ela disse que o tal do Anjo roubou o coração dela. Ela até falou um dia que se fosse a dona da rua, mandava colocar ladrilho em tudo, só pra ele pode passar desfilando e tal.

- Nossa, que casamento bagunçado esse. Era melhor separar logo.

- É. só sei que tô cansado desses papos doidos dela, sabe? Às vezes ela fala algumas coisas sem sentido nenhum. Ontem mesmo veio me falar que a vizinha cria perereca em gaiola, cara. Vê se pode? Só tem louco
nessa rua.

- Ixi, cara. Mas a vizinha não é sua mãe?

- Putz, é mesmo! Tô ferrado de qualquer jeito.

Peguei daqui.

sábado, 16 de janeiro de 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Cena 156: A resposta mora dentro de você


Olhe em volta, onde você pertence. Não tenha medo, você não é o único.

Não deixe o dia ir, não deixe ele acabar. Não deixe o dia ir em dúvida, a resposta mora dentro de você.

A vida é curta então aprenda com seus erros e continue atrás das escolhas que fizer.

Encare cada dia com os dois olhos abertos e tente entrar em ordem. Não mantenha tudo dentro de você.

Não deixe o dia ir, não deixe ele acabar. Não deixe o dia ir em dúvida, a resposta mora dentro de você.

Você tem o futuro a seu lado, você estará bem agora. Eu sei que qualquer coisa que decidir, você irá brilhar.

Não deixe o dia ir, não deixe ele acabar. Não deixe o dia ir em dúvida, você está pronto para começar.

Não deixe o dia ir em dúvida. A resposta mora dentro de você.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Cena 155: Não quero saber de conversa.

Não concordo. Não gosto. Não insista.

Eu não gosto de ganhar flores. Coisa mais brega e sem criatividade. Você dá um buquê de rosas, para alguém que ama, que dali a uma semana vai morrer. É assim que você expressa o que sente, presenteado com coisas que morrem logo?

Se o meu status no msn estiver 'ausente', eu realmente não estou no pc. Então não fique mandando mensagens 'tá aí?' ou chamando a atenção freneticamente. Isso caaansa.

Vegetarianismo é Hipócrita. Destesto vegetarianos que dizem não comerem carne por acharem um desrespeito aos animais, entretanto, comem derivados (queijo, presunto, salame, etc.). Se acham desrespeito, então virem vegan. Bem simples. Vegetarianismo é pura hipocrisia.

Eu não acredito na medicina. Médico nenhum vai conseguir curar o corpo se não tratar também a alma. Mas isso é assunto para um post enorme. Qualquer dia eu desenvolvo melhor a idéia.

Não gosto que me sirvam. Sério. Perco a vontade de comer/tomar. A não ser que eu peça.

Por favor, não fale comigo se você me encontrar na rua e eu estiver com os fones nos ouvidos. No máximo dê um 'tchauzinho' e um sorriso, a não ser que seja algo de extrema importância, mas de extrema importância mesmo. Escutar música, para mim, é um ritual. E mesmo que você consiga me tirar desse transe, fique sabendo que eu ainda continuarei com um fone e 90% da minha atenção será voltada para a música.

Eu respeito muito a sua opinião, mas não vou mudar a minha só para lhe deixar feliz.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Cena 154: Vôo 3054 da TAM

Nem sei se alguém ainda lembra daquele acidente com o avião da TAM em 2007, mas eu resolvi postar aqui um texto que escrevi e publiquei no meu antigo blog, no dia 25/07/2007:

Então, isso foi só mais um acidente, e aquelas foram só mais algumas das pessoas que morreram por conta de uma tragédia no Brasil. Todos os dias crianças desaparecem, mulheres são violentadas, inocentes morrem nas favelas no meio de tiroteio entre traficantes e policiais, e muitos outros clichês que nem vou citar... e nem por isso a mídia faz esse alarde todo. Essa "indignação" toda é só pelo simples motivo de que a classe média foi atingida, senão, nem ouviríamos falar tanto nesse maldito (ou bendito) acidente. Eu não agüento mais ouvir falar nisso. Pelo amor de Deus! Aprendam a aceitar a morte!!! Deus sabe o que faz, e faz tudo a seu tempo. Mas sempre tem alguém que diz "você fala isso por que não perdeu nenhuma pessoa querida nesse acidente e blá blá blá...", é verdade, não perdi ninguém mesmo. Não perdi simplesmente pelo fato de que ninguém me pertence, e pessoas não são objetos para serem perdidas. Só para constar, meu pai morreu quando eu tinha um ano e meio de idade, e meus avós maternos há mais ou menos uns sete anos atrás. Do meu pai eu não lembro, dos meu avós sim. Amava muito eles, mas nem por isso fico lamentando morte de ninguém. Em quatro meses, dois grandes amigos morreram; um de câncer no pulmão (de tanto fumar); a outra em um acidente de carro, e tinha 20 anos. Grandes amigos que eu considerava como irmãos, mas... ELES MORRERAM E NÃO HÁ O QUE FAZER. O tempo deles na Terra acabou. A missão deles para aquela vida acabou. E se alguém me disser "o dia que você perder alguém que realmente ama, duvido que diga isso" eu respondo: todas as pessoas que eu amo, é verdadeiramente, e o dia que alguma delas morrer, podem ter certeza de que não vou fazer escândalo e choradeira, pelo contrário, ficarei feliz pelo fato de elas terem passado pela minha vida e que estão finalmente libertas.

A morte não é o fim e sim, apenas uma transição.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Cena 153: Algumas frases de ateus

Eu acredito em Deus, mas não deixo de concordar com estas frases:

“A inspiração da Bíblia depende da ignorância da pessoa que a lê.” Robert G. Ingersoll

“Acreditar é mais fácil do que pensar. Daí existem muito mais crentes do que pensadores.” Bruce Calvert

“Se 5 bilhões de pessoas acreditam em uma coisa estúpida, essa coisa continua sendo estúpida.” Anatole France

“Tem razão quem usa a razão.” Friedrich Nietzsche

“Quando o primeiro espertalhão encontrou o primeiro imbecil, nasceu o primeiro deus.” Millor Fernandes

“É inútil tentar fazer um homem abandonar pelo raciocínio, aquilo que não adquiriu pela razão.” Jonathan Swift

“A única igreja que ilumina é aquela que está pegando fogo.” Buenaventura Durruti

“Quando todos pensam o mesmo, ninguém está pensando.” Walter Lippmann.

“Um homem sem religião é como um peixe sem bicicleta.” Anônimo

“As pessoas que me dizem que eu vou para o inferno e que elas vão para o céu de certa forma me deixam feliz por não estarmos indo para o mesmo lugar.” Martin Terman

“Se a Bíblia prova a existência de Deus então as revistas em quadrinhos provam a existência do Super Homem.” Anônimo

“Conforme as pessoas vão ficando mais inteligentes, elas se importam menos com pastores e mais com professores.” Robert Green Ingersoll

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Cena 152: Eu ri

Ontem, na casa do Giovani, ele me chamou e disse:
- Gostaria de te fazer um convite.
E eu:
- Claro, pode falar.
Ele sorriu:
- Gostaria de te convidar para ser 2ª Secretária da Casa do Poeta.
Me assustei:
- Eu? Mas eu não sei fazer nada.
E ele justificou:
- Tu sabe bater boca.

sábado, 9 de janeiro de 2010

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Cena 149: Hoje eu tô de ódio!

Hoje eu queria que o mundo explodisse. Só isso. Me acordei cuspindo fogo, de mal com o mundo. De mal comigo.

Quero que se exploda aquela droga de faculdade. Mas eu quero que se exploda mesmo. Que vá tudo pelos ares. Eu odeio a hipocrisia da maioria dos professores. Eu odeio o que eles acham que ensinam e a maneira que ensinam (tentam ensinar). Eu odeio tudo aquilo. E nunca mais vou voltar lá.

Que vá pro inferno aquela imbecil se fazendo de minha amiga. Falsa. Falsa. Falsa. Ela acha que eu não sei que foi ela que fez aquele monte de fofoca. E ainda vem falar comigo com a maior cara-de-pau, dizendo que vai me ajudar no que eu precisar. VÁ PRO INFERNO.

MORRAM idiotas que se dizem fãs das bandas e nem sabem escrever direito o nome delas. Morram e levem os seus "Drean Teater", "Épica", "Metálica", "Evanecense", "Pink Floid", "Skid Rou", "Nitwish" com vocês.

Calor e calor e calor. Eu não aguento mais tanto calor. Quero ir pra um lugar que seja inverno o ano inteiro. Quero ir pra um lugar que eu nunca mais veja a luz do sol.

Essa gente que se faz de vítima AAAAAAAA como que pode conseguir enganar tanta gente? Mais burro ainda quem cai na conversa fiada.

Não gosta de mim? Simplesmente me ignore!!! Não precisa ficar me aturando para me agradar ou para agradar outra pessoa. Afe. Eu detesto aqueles dois. Antes eu tinha pena, mas agora eu detesto mesmo. Querendo dar lição de moral e não olham pra vida que têm. Só reclamam e não são capazes de fazer algo pra melhorar. Que se ferrem. Eu não sou obrigada a conviver e gostar daquela gente. Eu tenho AMIGOS DE VERDADE. Não preciso nem da presença deles na minha vida. Essas "amizades por conveniências" não me servem.

E... me ama de verdade? Então não me ignora pois eu também te amo.

Só mesmo muito rock progressivo e café pra aguentar isso.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Cena 148

Ele é o tipo que não pode conhecer ninguém intimamente, muito menos tudo de uma mulher. Ele não sabe o que uma mulher é. Ele a quer por possessão ou algo para olhar, como uma pintura ou uma caixa de marfim. Algo para conquistar e mostrar. Ele não quer que você seja real, ou pense ou viva. Ele não a ama, mas eu a amo. Quero que tenha seus pensamentos, idéias e sentimentos, mesmo quando estou com você em meus braços. É nossa última chance, nossa última chance...

Space-Dye Vest (Dream Theater)

domingo, 3 de janeiro de 2010

Cena 147


De todos os animais da criação, o homem é o único que bebe sem ter sede, come sem ter fome e fala sem ter nada a dizer.

Mägo de Oz

sábado, 2 de janeiro de 2010

Cena 146

É como se eu não pudesse respirar. É como se eu não pudesse ver nada. É como se eu estivesse desistindo devagar.

Kelly Clarkson