quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Cena 144: NEOQEAV

Meus avós já estavam casados há mais de cinqüenta anos e continuavam jogando um jogo que haviam iniciado quando começaram a namorar. A regra do jogo era que um tinha que escrever a palavra “NEOQEAV” num lugar inesperado para o outro encontrar e assim quem a encontrasse deveria escrevê-la em outro lugar e assim sucessivamente. Eles se revezavam deixando “NEOQEAV” escrita por toda a casa, e assim que um a encontrava era sua vez de escondê-la em outro local para o outro achar. Eles escreviam “NEOQEAV” com os dedos no açúcar dentro do açucareiro ou no pote de farinha para que o próximo que fosse cozinhar a achasse. Escreviam na janela embaçada pelo sereno que dava para o pátio onde minha avó nos dava pudim que ela fazia com tanto carinho. “NEOQEAV” era escrita no vapor deixado no espelho depois de um banho quente, onde a palavra a iria reaparecer depois do próximo banho. Uma vez, minha avó até desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar “NEOQEAV” na última folha e enrolou tudo de novo. Não havia limites para onde “NEOQEAV” pudesse surgir. Pedacinhos de papel com “NEOQEAV” rabiscado apareciam grudados no volante do carro que eles dividiam. Os bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos e deixados debaixo dos travesseiros. “NEOQEAV” era escrita com os dedos na poeira sobre as prateleiras e nas cinzas da lareira. Esta misteriosa palavra tanto fazia parte da casa de meus avós quanto da mobília. Levou bastante tempo para eu passar a entender e gostar completamente deste jogo que eles jogavam. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor, que possa ser realmente puro e duradouro. Porém, eu nunca duvidei do amor entre meus avós. Este amor era profundo. Era mais do que um jogo de diversão, era um modo de vida. Seu relacionamento era baseado em devoção e uma afeição apaixonada, igual as quais nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Roubavam beijos um do outro sempre que se batiam um contra outro naquela cozinha tão pequena. Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro e todo dia resolviam juntos as palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim dizendo o quanto meu avô era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso. Ela se gabava de dizer que sabia como pegar os namorados mais bonitos. Antes de cada refeição eles davam graças a Deus e bênçãos aos presentes por sermos uma família maravilhosa, para continuarmos sempre unidos e com boa sorte. Mas uma nuvem escura surgiu na vida de meus avós: minha avó tinha câncer de mama. A doença tinha primeiro aparecido dez anos antes. Como sempre, vovô estava com ela a cada momento. Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tivesse forças para sair. O câncer agora estava de novo atacando seu corpo. Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do meu avô, eles iam à igreja toda manhã. E minha avó foi ficando cada vez mais fraca, até que, finalmente, ela não mais podia sair de casa. Por algum tempo, meu avô resolveu ir à igreja sozinho, orando a Deus para zelar por sua esposa. Então, o que todos nós temíamos aconteceu. Vovó partiu. ”NEOQEAV” foi gravada em amarelo nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores do funeral da vovó. Quando os amigos começaram a ir embora, minhas tias, tios, primos e outras pessoas da família se juntaram e ficaram ao redor da vovó pela última vez. Vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro bem profundo, começou a cantar para ela. Através de suas lágrimas e pesar, a música surgiu como uma canção de ninar que vinha bem de dentro de seu ser. Me sentindo muito triste, nunca vou me esquecer daquele momento. Porque eu sabia que mesmo sem ainda poder entender completamente a profundeza daquele amor, eu tinha tido o privilégio de testemunhar a beleza sem igual que aquilo representava. Aposto que a esta altura você deve estar se perguntando: “Mas o que NEOQEAV significa?”.

Nunca Esqueça O Quanto Eu Amo Você

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Cena 143: Natal

Não foi por preguiça de atualizar o blog. Mas esse servidor me deixou na mão por dois dias. Não sei o que aconteceu. Simplesmente não acessava.

Tive um feriadão excelente... pena que acabaou. Mas o que me deixa feliz é que vem outro pela frente, e maior, já que dia 04/01 é aniversário da minha cidade. A Lígia e o Márcio passaram a virada na minha casa, depois fomos para o Giovani.

Sábado eu, o Márcio e o Sidi fomos para Santa Maria assistir Avatar (que filme podre, depois eu faço um post sobre ele).

E agora realmente é preguiça de escrever...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Cena 141: Hétero, Bissexual ou Homo?

Acho que essa coisa de hetero, bissexual ou homossexual não passa de um rótulo. Quem que disse que o homem tem que ficar com uma mulher, e vice-versa? Não importa se eu estou apaixonada por uma mulher ou por um homem, o que importa é o "ser humano" pelo qual estou apaixonada. Sinceramente não saberia dizer qual o meu "rótulo". Tenho namorado, mas se eu me apaixonasse por uma mulher, não veria o menor problema em ficar com ela, se fosse correspondida, claro.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Cena 139: Lembranças...

Eu sempre lembrarei dos dias frios;
dos dias chuvosos;
das viagens às escondidas;
das caminhadas noturnas;
da casa vazia;
dos atrasos;
dos compromissos desmarcados no último minuto;
das promessas nunca cumpridas;
dos planos nunca concretizados;
dos telefonemas nunca atendidos;
dos dias de angústia;
dos dias de espera;
dos dias de tristeza;
dos dias de saudade;
dos dias de esperança;
do arrependimento;
do pedido de perdão;
da quase reconciliação;
dos pedidos de casamento...

Eu sempre lembrarei, daquela noite no corredor da escola, quando você me olhou e disse “Case-se comigo”. Eu, sem saber o que dizer, perguntei “Por quê?” e você me olhou da maneira mais doce... “Porque eu te amo”. Pela 1ª vez eu realmente senti verdade no seu olhar e nas suas palavras...

Eu sempre lembrarei da 1ª vez que você disse que me amava... aquelas palavras não sairão da minha alma.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Cena 138: formspring.me

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Cena 137: OMFG *___*

DEUS, MUITO OBRIGADA!!! Finalmente saiu o 1º trailer oficial do Homem de Ferro 2. O Robert Downey Jr está mais perfeito do que nunca!!! Oh céus! Quase morri do coração quando vi!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Cena 136: 2x4

[x] Estou voltando às velhas origens. Tenho escutado muito Metallica nos útlimos dias. Definitivamente, esta é uma banda que me deixa feliz. Vão me chamar de herege, mas meus CD's preferidos são Black Album, Load e Reload. Acho que esses foram os que mais marcaram os meus 14, 15, 16 anos. Eu a Maira passávamos horas escutando.

[x] Uma pessoa disse que eu tinha copiado ela quando fiz a tatuagem do Olho de Horus. Bem, várias outras pessoas, inclusive ligadas a esta, ouviram eu e a Paola conversando sobre fazer esse símbolo, há muito tempo atrás. Enfim... clique aqui e veja mais algumas pessoas sem personalidade... E se alguém aparecer com formigas tatuadas no pé, eu também direi que me copiaram.
E antes que mais alguém diga mais alguma coisa, eu pretendo fazer mais 7 tatuagens. Uma delas é o Ryuk, nas costas, e as outras, com certeza, desenhos relacionados ao Pink Floyd.

[x] Então a tal lá foi garota de programa??? Puxa vida hein. Se chega ao ponto da família contar dos podres e das maldades que sofreram nas mãos dessa moça, imagina só o que ela tenha feito com outras pessoas.

[x] E vem chegando a época mais deprimente do ano... Ninguém se tocou ainda que o espírito de natal não tem nada de menino jesus? Menino mesmo só aquele passando fome na rua e que todo mundo só lembra dele nessas épocas pra fazer uma 'boa ação' e entrar o ano novo livre de pecados.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Cena 135: Fade To Black (Metallica)

Ainda naquela "se você quiser ser totalmente sincero, apenas cante".


A vida, parece que vai sumir, indo mais longe todo dia, se perdendo dentro de mim mesma. Nada importa, ninguém mais, eu perdi a vontade de viver. Simplesmente nada mais a dar, não há nada mais para mim. Preciso do fim para me libertar.

As coisas não são como costumava ser, falta algo dentro de mim. Você acreditava em mim mas me condena por algo que não fiz. Mortalmente perdida, isto não pode ser real. Eu pensava que você me notava. Não posso suportar este inferno que sinto, o vazio me preenche ao ponto da agonia, as trevas crescem tomando a aurora. Eu era eu mesma, mas agora se foi.

Ninguém além de mim pode me salvar, mas é tarde, agora eu não consigo pensar, pensar por que eu deveria tentar...

O ontem parece nunca ter existido, a morte me acolhe carinhosamente.
Agora eu vou dizer apenas adeus.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Cena 134

No coração do silêncio, no coração da noite, com que freqüência perguntei a mim mesma aonde você poderia estar nesse exato momento? Em espírito eu o acompanho e dessa forma posso vê-lo com mais freqüência. Assim elas aproximam ainda mais, aquelas sombras das esquinas, aquelas sombras da minha solidão. Das paredes elas vêm rastejando e vêm para me pegar, elas bloqueiam a minha visão e a sala vai ficando maior, dentro dela vou ficando menor e o silêncio vai se tornando a música do meu coração, essa angústia vai se tornando a essência do meu coração, minha alma é forte e a esperança é feroz. Minha angústia é insaciável, meu amor é gentil e poderoso e ele me arranca de minha solidão...

sábado, 12 de dezembro de 2009

Cena 133


Não vou chorar porque você me ensinou a sorrir.
Não vou desistir porque você me ensinou a lutar.
Não vou sofrer porque você me ensinou a ser feliz.
Não vou morrer porque você me ensinou a viver.
Mas se um dia você for embora eu vou chorar, desistir, sofrer e morrer porque você nunca me ensinou a te esquecer.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Cena 131: Do final de semana e feriado

Sexta-Feira: trabalhei o dia todo e de noite fui no Center Hall com a Paola, o Maurício, o Luiz Paulo e o Tiago. Fora a parte que a Paola me puxou pra lá e pra cá a noite toda e queria que eu tomasse vodka a todo custo, estava até que bom... Esse tipo de lugar não é pra mim. Muita gente, muito calor. Era só pela Paola mesmo.

Sábado: Fui no Márcio cedo da tarde, mas ele tinha que sair pra tirar umas fotos na praça, então fui pra Paola. Passamos a tarde toda fazendo nada. De noite ia ter junção tendo em vista o aniversário do Benhur. Eu fiquei até umas 22h e fui pra casa do Márcio de novo. Acabamos indo dormir cedo. Um mais cansado que o outro. E eu estava com sono atrasado de sexta-feira.

Domingo: O Márcio se acordou umas 8h e não me deixou dormir mais. Ninguém merece acordar cedo num domingo. Mas tá bem... ele tava envolvido instalando a Sky Gato dele. Já era quase meio-dia quando ele me acordou de novo pra almoçar. Almoçamos e fomos lá alugar o Sid. Depois disso fomos no Cascão. Tava um pouco frio, mas mesmo assim dia bom pra sorvete! Mais tarde a Paola me ligou e nós 3 fomos no Ricardo Lanches. O Márcio foi embora e eu saí só com a Paola.

Segunda-Feira: Almocei com o Márcio, era aniversário dele. Trabalhei o resto do dia e de noite fomos jantar na casa do Rodrigo junto com o Chico e a Luana. Depois disso fui ao encontro da Paola (só eu), saímos e ficamos na rua quase até amanhecer.

Terça-Feira(ontem): Cheguei em casa por volta de 6h, fui dormir e me acordei em torno de 12h30min, atrasada, já que eu tinha combinado com o Márcio que estaria na casa dele às 12h para almoçarmos. Liguei pra ele e avisei do meu atraso (nem precisaria, mas é legal fazer isso), levantei, me arrumei e almocei rapidão. Cheguei no Márcio, mas ele teria que trabalhar. Fui na Paola, jogamos canastra, fizemos nada, comemos um monte de porcaria, fomos no Cascão com o Filipe e o Maurício, mas estava lotado, então fomos na Napoli. Mais tarde fui pra casa do Márcio - e ele no trabalho :( - li algumas revistas, dormi. Nem vi ele chegar.

Hoje: Me acordei com muito sono, como sempre e agora estou aqui escrevendo este post inútil.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Cena 130: Quando penso em você...

Quando penso em você me sinto flutuar, sinto-me alcançar as nuvens, tocar as estrelas, morar no céu...
Tento apenas superar a imensa saudade que me arrasa o coração mas, que vem junto com as doces lembranças do teu ser. Lembrando dos momentos em que juntos nosso amor se conjugava em uma só pessoa, nós...
É através desse tal sentimento, a saudade, que sobrevivo quando estou longe de você. Ela é o alimento do amor que se encontra distante...
A delicadeza de tuas palavras contrasta com a imensidão do teu sentimento.
Meu ciúme se abranda com tuas juras e promessas de amor eterno.
A longa distância apenas serve para unir o nosso amor.
A saudade serve para me dar a absoluta certeza de que ficaremos para sempre unidos...
E nesse momento de saudade, quando penso em você, quando tudo está machucando o meu coração e acho que não tenho mais forças para continuar, eis que surge tua doce presença com o esplendor de um anjo, e me envolvendo como uma suave brisa aconchegante.

Tudo isso acontece porque amo e penso em você...

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Cena 129


Seu olhar invade minha alma, chegando até meu coração. É tão belo o teu silêncio.
Quando me olhas dizes tudo que palavra nenhuma seria capaz de dizer.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Cena 127: O Olho de Horus

Documentário que estou assistindo sobre a civilização egípcia. Vou postar aqui só a 1ª parte e caso alguém tenha interesse em assistir as outras 49, é só ir no canal do jesieltrevisan.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Cena 126: Rosas Vermelhas

Rosas vermelhas eram as suas favoritas, seu nome também era Rose. E todo ano seu marido as enviava atadas com lindos enfeites. No ano em que ele morreu, as rosas foram entregues em sua porta. O cartão dizia: "Seja minha namorada", como nos anos anteriores. Cada ano ele enviava suas rosas e o cartão sempre dizia: "Eu te amo mais este ano do que no ano passado. Meu amor por você sempre aumentará com o passar dos anos". Ela sabia que aquela seria a última vez que as rosas apareceriam. Ela pensava, "Ele encomendou as rosas adiantado". Seu amado marido não sabia que ele iria.... Ele sempre gostou de preparar as coisas com antecedência. Pois se estivesse muito ocupado, tudo funcionaria perfeitamente. Ela ajeitou as flores e colocou-as num vaso especial. E depois, colocou o vaso ao lado do retrato sorridente dele. Ela sentaria por horas na cadeira favorita dele. Enquanto olhava para sua fotografia e as rosas, e ria. Um ano havia passado e tinha sido difícil viver sem seu companheiro. Em solidão e isolamento havia sido transformado seu destino. E então, na mesma hora de sempre, como no Dia dos Namorados anterior a campainha tocou, e lá estavam as rosas, esperando em sua porta. Ela levou-as para dentro e as olhou chocada. Então, foi ao telefone para ligar para a floricultura. O dono atendeu e ela perguntou-lhe se poderia explicar porque alguém faria isso com ela causando tanta dor?

- "Eu sei que seu marido faleceu há mais de um ano", o dono disse, "eu sabia que ligaria e iria querer saber. As flores que recebeu hoje foram pagas adiantadas. Seu marido sempre planejou adiante, ele não deixava nada imprevisto. Existe um pedido que eu tenho arquivado aqui. E ele pagou adiantado, você vai recebê-las todos os anos. E tem outra coisa que você deveria saber: Ele escreveu um pequeno cartão especial... ele fez isso no ano passado. e eu descobri que ele não estaria mais aqui, mas aí está o cartão... ele deveria ser mandado à você no próximo ano".

Ela agradeceu e desligou, e suas lágrimas caíram copiosamente, seus dedos tremiam, enquanto avançava devagar para pegar o cartão. Lá dentro, ela viu que ele havia escrito uma mensagem. Então em silêncio total, ela viu o que ele havia escrito....

- "Oi, meu amor, eu sei que faz um ano que eu me fui, Eu espero que não tenha sido tão ruim pra você superá-lo. Eu sei que deve estar solitária e que a dor é grande. Mas se fosse diferente, eu sei como eu me sentiria.O amor que nós tivemos fez a minha vida ser maravilhosa. Eu amei você mais do que as palavras podem dizer, você foi a esposa perfeita. Você foi amiga e amante e me deu tudo o que precisei. Eu sei que isto foi há apenas um ano, mas por favor tente não ficar triste. Eu quero que você seja feliz, mesmo quando banhada em lágrimas. Por isso é que as rosas serão enviadas durante anos. Quando você recebê-las, pense na felicidade que tivemos juntos, e como fomos abençoados. Eu sempre amei você e sei que sempre vou amá-la. Mas, meu amor, você tem que continuar você ainda está viva. Por favor.... Tente achar a felicidade, enquanto vive o resto dos seus dias. Eu sei que não é fácil, mas eu espero que ache algum modo. As rosas irão todos os anos, e só irão parar quando sua porta não mais atender, quando o entregador parar de bater. Ele irá cinco vezes nesse dia caso você tenha saído. Mas depois desta última visita, quando ele não tiver mais dúvidas, levara as rosas ao lugar onde eu o instruí, e colocará as rosas onde nós estaremos juntos novamente”.


Algumas vezes na vida você encontra alguém especial.
Alguém que muda sua vida apenas fazendo parte dela.
Alguém que faz você rir sem parar.
Alguém que faz você acreditar que existe algo bom no mundo.
Alguém que convence você que realmente há uma porta aberta apenas esperando para ser aberta por você.

Este é um Sentimento para Sempre.
Um tipo de amor Eterno.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Cena 125

Quero falar-lhe e não sei o que dizer em meu afastamento! Que me sinto acorrentada às horas, como prisioneira infeliz, contando-as, minuto a minuto, à espera do momento de solidão. longe dos homens e das coisas, para aproximar-me de você... Que a vida para mim é vazia e sem sentido, como um fantasma errante... Que essa distância, tirando-o de mim, é um martírio tremendo, ao qual não sei por quanto tempo resistirei? Não sei o que lhe deizer; como é grande a tristeza que me invade; como choro pelo tempo que estivemos juntos; como desejo estar perto de você! Vou dizer-lhe principalmente isto: amo-o muito mais agora, porque o conheço mais, também. À distância, esta saudade enorme vai tecendo o fio de sua presença a meu lado e já vejo comigo, a todo o momento, uns olhos tristes que me disseram adeus chorando, a boca linda que me beijava tanto, o corpo voluptuoso que me ensinou a pecar, a voz serena em que se apoiavam minhas palavras apaixonadas e os braços macios que me abraçavam com força! Pego seu retrato e coloco-o à minha frente, para saber que esta tristeza que me aflige agora tem uma razão de ser, pois você de fato existe e me ama também muito! Responda-me depressa, mande-me um pouco de você, pois assim talvez alivie um pouco a tortura de amor. Já não suporto de tanta saudade!

Da sempre sua...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Cena 124

- Não tenho ódio das pessoas, tenho pena delas. Pois a maioria das pessoas deste mundo jamais verá além do que seus dois olhos podem ver.

- Eu desisti de ter pena já faz muito tempo.

- Uma pessoa não deve ter tanta raiva assim.

- Às vezes a raiva te ajuda a sobreviver.

- Assim como a fé.

X-Men 2