segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Cena 123: Lições Corporativas

1. Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair dele e está se enxugando. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas. Quando ela abre a porta, vê o vizinho Ricardo em pé na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, ele diz: "Eu lhe dou 800 dólares se você deixar cair esta toalha". Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Ricardo então entrega a ela os 800 dólares prometidos e vai embora. Confusa, mas excitadíssima com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro: "Quem era?". Era o Ricardo, o vizinho da casa ao lado". Diz ela. "Ótimo! Ele lhe deu os 800 dólares que ele estava me devendo?".
Moral da História: Se você compartilha informações a tempo você pode prevenir exposições desnecessárias!!!

- - - - -

2. Um padre está dirigindo por uma estrada quando um vê uma freira em pé no acostamento. Ele para e oferece uma carona que a freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas. O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar o acidente ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz: "Padre, lembre-se do Salmo 129". O padre sem graça se desculpa: "Desculpe Irmã, a carne é fraca" e tira a mão da perna da freira. Mais uma vez a freira diz: "Padre, lembre-se do Salmo 129!". Chegando ao convento a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro se dirigindo para o convento. Assim que chega à igreja o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz: "Vá em frente, persista, mais acima você vai encontrar a glória".
Moral da História: Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, você pode perder grandes oportunidades.

- - - - -

3. Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz: "Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês". "Eu primeiro, eu primeiro" grita um dos funcionários. "Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida". Puf e ele foi. O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido: "Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pina coladas". Puf e ele se foi. "Agora você" diz o gênio para o gerente. "Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço" diz o gerente.
Moral da História: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.

- - - - -

4. Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta: "Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?". O corvo responde: "Claro, porque não?". O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa. De repente uma raposa aparece e come o coelho.
Moral da História: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar sentado bem no alto.

- - - - -

5. Na África todas manhãs a gazela acorda sabendo que ela deve conseguir correr mais do que o leão se quiser se manter viva. Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deve correr mais do que a gazela se não quiser morrer de fome.
Moral da História: Não faz diferença se você é gazela ou leão, quando o sol nascer você deve começar a correr.

- - - - -

6. No aeroporto o pessoal estava na sala de espera esperando a chamada para embarcar. Nisso aparece o Co-piloto, todo uniformizado, de óculos escuros e de bengala branca, tateando pelo caminho. A atendente da companhia o encaminha até o avião e assim que volta explica que, apesar dele ser cego, é o melhor co-piloto da companhia. Alguns minutos depois, chega outro funcionário também uniformizado, de óculos escuros, de bengala branca e amparado por duas aeromoças. A atendente mais uma vez informa que, apesar dele ser cego, é o melhor piloto da empresa. Tanto ele quanto o Co-piloto, fazem a melhor dupla da companhia. Todos os passageiros embarcam no avião preocupados com os pilotos. O Comandante avisa que o avião vai levantar vôo e começa a correr pela pista cada vez com mais velocidade. Todos os passageiros se olham, suando, com muito medo da situação. O avião vai aumentando a velocidade e nada de levantar vôo. A pista está quase acabando e nada do avião sair do chão. Todos começam ficar cada vez mais preocupados. O avião correndo e a pista acabando. O desespero toma conta de todo mundo. Começa uma gritaria histérica no avião. Nesse exato momento o avião decola, ganhando o céu e subindo suavemente. O piloto vira para o Co-piloto e diz: “Se algum dia o pessoal não gritar, a gente tá ferrado”.
Moral da História: Ouvir os clientes é fundamental.

domingo, 29 de novembro de 2009

Cena 122: Inner Silence (Anathema)



Quando o silêncio acenar, e o dia se arrastar a chegar; quando a luz da sua vida suspirar, e o amor morrer em seus olhos, somente então eu irei perceber o que tu significas pra mim.

sábado, 28 de novembro de 2009

Cena 121


Existem milhões de motivos para não estar com você, para não te amar, para não te querer. Existem razões, verdades que me fazem querer te ver longe... longe de mim. Existem mentiras que me confundem que me fazem duvidar. Existem pessoas que me fazem a cabeça... mas acima de tudo existe uma coisa... uma unica coisa... um motivo, uma razão, uma verdade acima de todas... mais forte que tudo... o AMOR... mas não apenas o amor... há uma pessoa por trás desse sentimento... uma pessoa que faz despertar algo em mim... um sentimento que me confude, que me machuca, que me alegra...

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Cena 120: Desiderata

Siga tranqüilamente, entre a inquietude e a pressa,lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.
Tanto quanto possível, sem se humilhar, mantenha boas relações com todas as pessoas.
Fale a sua verdade mansa e claramente e ouça a dos outros, mesmo a dos insensatos e ignorantes, pois também eles têm sua própria história.
Evite as pessoas escandalosas e agressivas; elas afligem o nosso espírito.
Se você se comparar com os outros, você se tornará presunçoso e magoado, pois haverá sempre alguém superior e alguém inferior a você.
Você é filho do universo, irmão das estrelas e árvores. Você merece estar aqui.
E mesmo sem você perceber, a Terra e o Universo vão cumprindo seu destino.
Desfrute das suas realizações, bem como dos seus planos.
Mantenha-se interessado em sua carreira, ainda que humilde, pois ela é um ganho real na fortuna cambiante do tempo.
Tenha cautela nos negócios, pois o mundo está cheio de astúcia; mas não se torne um cético, pois a virtude sempre existirá.
Muita gente luta por altos ideais e em toda parte a vida está cheia de heroísmos.
Seja você mesmo. Principalmente, não simule afeição, nem seja descrente do amor, porque mesmo diante de tanta aridez e desencanto, ele é tão perene quanto a relva.
Aceite com carinho o conselho dos mais velhos e seja compreensivo com os arroubos inovadores da juventude.
Alimente a força do espírito, que o protegerá no infortúnio inesperado, mas não se desespere com perigos imaginários. Muitos temores nascem do cansaço e da solidão, e, a despeito de uma disciplina rigorosa, seja gentil para consigo mesmo.
Portanto, esteja em paz com Deus, como quer que você O conceba.
E quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações na fatigante confusão da vida, mantenha-se em paz com sua alma.
Apesar de todas as falsidades, fadigas e desencantos, o mundo ainda é bonito!
Seja prudente: faça tudo para ser feliz.

Antiga inscrição, datada de 1684, descoberta em uma igreja de Baltimore - EUA

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cena 119

Não há muito para dizer... Adiantaria enumerar os motivos? Ninguém entenderia o inferno que eu tenho vivido comigo mesma e a dor de suportar tudo isso quieta, sem poder gritar, sem poder pedir ajuda. E quando peço, as pessoas acham que é drama, ou que estou me fazendo de vítima. Acontece que ninguém sabe realmente o que está acontecendo. Niguém se importa... e foi nesses momentos que percebi que estou sozinha e somente eu mesma posso me ajudar.

Um dor e tristeza tão profundas que parece que às vezes tudo sai do psicológico e se torna físico.

A tristeza abre a alma. E eu me dei conta de todos os erros que cometi. Mas não tem como mudar. Quando eu digo "me dar conta", é acordar mesmo. Quando deu aquele estalo e pensei: "O que foi que eu fiz?". Tarde demais. Já está feito. Pessoas foram magoadas demais para me perdoarem. Eu agi por impulso. Agi tomada pelo desejo de vingança e acabei me tornando tudo aquilo que eu mais abomino em um ser humano.

A única coisa a fazer agora é esperar... talvez, com o tempo, algumas coisas se resolvam. Ou fiquem piores.

Cheguei a conclusão que não há mais sentido na minha vida. Há dias eu tenho procurado, mas... nada mesmo.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Cena 118

Bem, amanhã é o dia menos esperado do ano, pelo menos para mim. Eu detesto o dia do meu aniversário. Detesto aquele bando de gente hipócrita vindo abraçar e cumprimentar só pra sair de legal. Detesto as pessoas dizendo "está mais velha agora, tem que tomar juízo". Grande coisa. Todo mundo envelhece. E juízo não é bebida para ser tomado. Tem gente com 50 anos e que ainda só faz besteira. Detesto ganhar presente pois se eu não gostar eu vou dizer: "Não gostei, posso trocar?" E isso é um problemão. As pessoas não recebem isso muito bem, mesmo se for falado com a maior educação do mundo. Dão qualquer porcaria de mal gosto e ainda acham que a gente tem a obrigação de gostar. Comigo não. Se eu for dar um presente, eu pergunto o que a pessoa quer ou pesquiso muito os gostos antes de comprar. Ou simplesmente, dá R$ 10,00. Ninguém recusa dinheiro. Eu não tenho dessas de dar valor à pessoa que me deu o presente, não adianta. Se eu não gostar, nada há para se fazer. Ainda mais se a pessoa me conhece, sabe do que eu gosto ou não e ainda assim dá um presente de grego que não serve nem para repassar a outro.

Amanhã pretendo dormir o dia todo. Se eu pudesse, sairia da cidade só para não correr o risco de me encontrarem.

Não estou estressada, apenas resolvi expor os motivos que fazem com que eu não goste do dia do meu aniversário.

Ou talvez eu não goste pelo simples fato de que ninguém, até hoje, conseguiu fazer com que se tornasse um dia realmente especial e inesquecível.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Cena 117

O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse? Mas a gente nunca conhece.


Charles Bukowski

domingo, 22 de novembro de 2009

Cena 116: Um Último Adeus


Como eu precisei de você. Como estou aflita agora que você se foi. Nos meus sonhos eu lhe vejo e acordo tão só.

Eu sei que você não quis partir, seu coração ainda insiste em permanecer, mas a força que eu sempre amei em você finalmente se foi.

De alguma forma eu sabia que você me deixaria desse jeito. De alguma forma eu sabia que você nunca poderia ficar. E na luz do amanhecer, depois do silêncio, um calma noite, você fez de meu ser e coração ausentes.

Nos meus sonhos eu posso te ver, eu posso te contar como me sinto. Nos meus sonhos eu posso abraçá-lo e parece ser tão real.

Ainda sinto a dor.
Eu ainda sinto seu amor.

De alguma forma eu sabia que você nunca, nunca poderia ficar. De alguma forma eu sabia que você me deixaria. E na luz do amanhecer, depois do silêncio, uma calma noite, você fez meu coração ausente.
Eu queria... queria que você tivesse ficado.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Cena 114

Seus sonhos povoam minha mente, a sua essência me domina. Não controlo mais meus atos. A sua respiração me alimenta e o seu sangue corre em mim.

Dependo da sua existência para viver. Já não sou mais eu... Há tempos eu sou você. Há tempos eu vivo em você, mas você não está aqui.

Tenho vagado por aí tentando me encontrar, mas eu estou em você e não sei onde você está. Sinto a minha falta.

Devolva-me a mim...

Eu não quero mais ter que precisar de você para respirar. Eu quero viver por mim e para mim mesma.

Um dia o sonho acaba, finalmente irei acordar e estarei livre de você.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cena 113: O que não é Amor...

Se você precisa de alguém para ser feliz, isso não é amor. É CARÊNCIA.

Se você tem ciúme, insegurança e faz qualquer coisa para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, isso não é amor. É FALTA DE AMOR PRÓPRIO.

Se você acredita que "ruim com ela(e), pior sem ela(e)", e sua vida fica vazia sem essa pessoa; não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria - existe em função do outro - isso não é amor. É DEPENDÊNCIA.

Se você acha que o ser amado lhe pertence; sente-se dono(a) e senhor(a) de sua vida e de seu corpo; não lhe dá o direito de se expressar, de ter escolhas, só para afirmar seu domínio, isso não é amor. É EGOÍSMO.

Se você não sente desejo; não se realiza sexualmente; prefere nem ter relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado dela, isso não é amor. É AMIZADE.

Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de ciúmes um do outro e brigam por qualquer coisa; nem sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor. É DESEJO.

Se seu coração palpita mais forte; o suor torna-se intenso; sua temperatura sobe e desce vertiginosamente, apenas em pensar na outra pessoa,isso não é amor. É PAIXÃO.

Se você não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria; se você acha que o ser amado lhe pertence; se vocês discutem por qualquer motivo; você tem ciúme, insegurança, faz joguinhos psicológicos e ameaças, incrimina outras pessoas e faz qualquer coisa, mesmo que errada, para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, se você é capaz de mentir, fingir; se você, mesmo não estando mais com a pessoa ainda fica fantasiando que vocês estão juntos e felizes e que isso vai durar a vida inteira; se você não aceita o fato de essa pessoa amar e ser feliz ao lado de outra, isso não é amor, É OBSESSÃO.

Agora, sabendo o que não é amor, fica mais fácil analisar, verificar o que está acontecendo e procurar resolver a situação. Ou se programar para atrair alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o mesmo por você, para que possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, o verdadeiro e eterno amor.

Cena 112: Contatos

domingo, 15 de novembro de 2009

Cena 111: Forgotten Hopes (Anathema)


Ei você, apodrecendo em sua concha alcoólica, batendo nas paredes de sua mente intoxicada. Você já se perguntou por que você foi deixado sozinho à medida que seu coração esfriou e finalmente virou pedra?

Esquecimento patético...
Esperanças esquecidas enterradas no túmulo solitário de sua alma.
Lembre-se de como você era antes de trancar o seu coração dessa maneira.

Eu te puni por sonhar?
Eu quebrei o seu coração e deixei você chorando?
Você já sonhou em escapar?
Você nunca sonhou em escapar?

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Cena 110: Dor do Amor

O amor, tão nobre, tão denso, tão intenso, acaba! Rasga a gente por dentro, faz um corte profundo que vai do peito até a virilha, o amor se encerra bruscamente porque de repente uma terceira pessoa surgiu ou simplesmente porque não há mais interesse ou atração, sei lá, vá saber o que interrompe um sentimento, é mistério indecifrável. Mas o amor termina, mal-agradecido, termina, e termina só de um lado, nunca se encerra em dois corações ao mesmo tempo, desacelera um antes do outro, e vai um pouco de dor pra cada canto. Dói em quem tomou a iniciativa de romper, porque romper não é fácil, quebrar rotinas é sempre traumático. Além do amor existe a amizade que permanece e a presença com que se acostuma, romper um amor não é bobagem, é fato de grande responsabilidade, é uma ferida que se abre no corpo do outro, no afeto do outro, e em si próprio, ainda que com menos gravidade.

E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta, definhamos em público, encolhemos a alma, quase desejamos uma violência qualquer vinda da rua para esquecermos dessa violência vinda do tempo gasto e vivido, esse assalto em que nos roubaram tudo, o amor e o que vem com ele, confiança e estabilidade. Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido, músicas idiotas nos fazem chorar dentro do quarto.

Passa a dor do amor, vem a trégua, o coração limpo de novo, os olhos novamente secos, a boca vazia. Nada de bom está acontecendo, mas também nada de ruim. Um novo amor? Nem pensar. Medo, respondemos!!!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Cena 109: Perfeitos

- Ela está nos seguindo.

- Não.

- Está sim.

- Está?

- Está sim. Olha para trás.

- (vira e olha para trás)

- Viu?

- Vi.

- E então?

- Ela não está nos seguindo.

- Como não?

- Não está.

- Ela está sim.

- Ela não está nos seguindo.

- Ora se não.

- Ela está apenas observando como somos perfeitos um para o outro...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Cena 108: O Amor e a Loucura

Em tempos atrás viviam duas crianças, um menino e uma menina que tinham entre quatro e cinco anos de idade. O menino chamava-se Amor e a menina chamava-se Loucura.

O Amor sempre foi uma criança calma, doce e compreensiva. Já Loucura era muito emotiva, passional e impulsiva, enfim, do tipo que jamais levava desaforo para casa.

Entretanto com todas as diferenças as crianças cresciam juntas, inseparáveis brincando, brigando...

Mas houve um dia em que o Amor não estava muito bem, e acabou cedendo as provocações de Loucura, com a qual teve uma discussão muito feia. Ela não deixava nada barato, estava furiosa como nunca com o Amor, começou a agredi-lo, mas não só verbalmente como de costume. A menina estava tão descontrolada que agrediu o garoto fisicamente e, antes que pudesse perceber, arrancou os olhos do Amor.

O Amor sem saber o que fazer, chorando foi contar sua mãe, a deusa Afrodite, o que havia ocorrido. Inconsolada, Afrodite implorou para Zeus que ajudasse seu filho e que não castigasse, Loucura.

Zeus, por sua vez, ordenou que chamassem a garota para uma conversa.

Ao ser interrogada a menina respondeu como se estivesse com a razão que o Amor havia lhe aborrecido e que foi merecido tudo o que aconteceu. Embora soubesse que não fora justa com seu amigo, menina que nunca soube se desculpar concluiu dizendo que a culpa havia sido do Amor e que não estava nem um pouco arrependida.

Zeus, perplexo com a aparente frieza daquela criança disse que nada poderia fazer para devolver a visão do Amor, mas, ordenou que Loucura estaria condenada a guia-lo por toda a eternidade estando sempre junto ao Amor em cada passo que este desse.

E até hoje eles caminham juntos, onde quer que o Amor esteja com ele estará Loucura, quase que fundidos um ao outro. São tão unidos que por vezes não se consegue definir onde termina o Amor e onde começa a Loucura. E também por isso que usa-se dizer que o Amor é cego mas isso não é verdade, pois o Amor tem os olhos da Loucura.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Cena 107: Com o tempo...

Você aprende que estar com alguém só porque esse alguém lhe oferece um bom futuro, significa que mais cedo ou mais tarde você irá querer voltar ao passado.

Você se dará conta que casar só porque “está sozinha” é uma clara advertência de que o seu matrimônio será um fracasso.

Você compreende que só quem é capaz de lhe amar com os seus defeitos, sem pretender mudar-lhe, é que pode lhe dar toda a felicidade que deseja.

Você se dará conta de que se você está ao lado de uma pessoa só para não ficar sozinhoa, com certeza uma hora você vai desejar não voltar a vê-la.

Você se dará conta de que os amigos verdadeiros valem mais do que qualquer montante de dinheiro.

Você entende que os verdadeiros amigos se contam nos dedos, e que aquele que não luta para os ter, mais cedo ou mais tarde se verá rodeado unicamente de amizades falsas.

Você aprende que as palavras ditas num momento de raiva podem continuar a magoar a quem você disse durante toda a vida.

Você aprende que desculpar todos o fazem, mas perdoar, só as almas grandes o conseguem.

Você compreende que se você feriu muito um amigo, provavelmente a amizade jamais será a mesma.

Você se dá conta de que cada experiência vivida com cada pessoa, é irrepetível.

Você se dá conta de que aquele que humilha ou despreza um ser humano, mais cedo ou mais tarde sofrerá as mesmas humilhações e desprezos, só que multiplicados.

Você aprende a construir todos os seus caminhos hoje, porque o terreno de amanhã é demasiado incerto para fazer planos.

Você compreende que apressar as coisas ou forçá-las para que aconteçam, fará com que no final não sejam como você esperava.

Você se dará conta de que, na realidade, o melhor não era o futuro, mas sim o momento que estava vivendo naquele instante.

Você aprende que tentar perdoar ou pedir perdão, dizer que ama, dizer que sente falta, dizer que precisa, dizer que quer ser amigo... junto de um caixão... deixa de fazer sentido...

O homem torna-se velho muito rápido e sábio demasiado tarde. Exatamente quando: “JÁ NÃO HÁ TEMPO”!

sábado, 7 de novembro de 2009

Cena 104: Caminho para o infinito


Embora eu tenha perdido meu caminho, todos os caminhos me levam a você...

Evanescence

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Cena 103

Quantas vezes nós pensamos em desistir, deixar de lado, o ideal e os sonhos?
Quantas vezes batemos em retirada, com o coração amargurado pela injustiça?
Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir?
Quantas vezes sentimos solidão mesmo cercado de pessoas?
Quantas vezes falamos, sem sermos notados?
Quantas vezes lutamos por uma causa perdida?
Quantas vezes voltamos para casa com a sensação de derrota?
Quantas vezes aquela lágrima, teima em cair, justamente na hora em que precisamos parecer fortes?
Quantas vezes pedimos à Deus um pouco de força, um pouco de luz?
A resposta vem com um sorriso, um olhar cúmplice, um cartãozinho, um bilhete, um gesto de amor...
E o melhor Caminho? É aquele mais difícil, mais complicado, mais bonito... E a gente insiste em seguir, por que tem uma missão: Ser feliz!
Vá atrás de quem você ama...

Nunca deixe aquilo que ama por aquilo que deseja, pois aquilo que você deseja te deixará pelo que ama.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Cena 102: Venha me encontrar...

Minhas palavras estremecem diante de você, repletas de esperança e medo. Você me vê sentada aqui, petrificada, sem amor, vazia, enferma, sangrando e exausta, mas seu amor corre em minhas veias. Não estou morta. Eu ainda lhe amo. Ainda quero lhe conhecer e me alimentar do seu espírito, quero me perder completamente em você, na sua beleza, no seu brilho. O castigo por lhe amar, o castigo do meu amor... Agora eu lhe pergunto: Aonde você está? Aonde você está agora? A esperança se esvai pela minha mão e a desesperança se tranca em meu coração. Sinto amor dentro de mim, mentiras e palavras carinhosas escuto de você. As lembranças me condenam... Eu sempre lhe amei... Ainda escuto sua voz a me chamar, sinto seus lábios a me tocar, sua luz ainda brilha em mim... eu ainda lhe amo. Por favor, volte! Por favor...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

domingo, 1 de novembro de 2009

Cena 100

Chegue um pouco mais perto e ouça o que eu tenho a dizer: flamejantes palavras de raiva, de ódio e de desespero. E se o silêncio for quebrado? E se eu perdoar o passado? Eu sei que pode parecer engraçado dizer-lhe o que eu senti... eu realmente te amei. É vergonhoso. Minha culpa, eu sei, mas por quê? Por que você é tão estúpido? Dane-se suas mentiras maldosas e eu odeio sua atitude vulgar. Por que você teve que ir tão baixo? Sugando como um vampiro o sangue de todos à sua volta... mas me desculpe, meu sangue estava envenenado, agora queime no inferno. Você matou o amor, você matou a confiança, você matou qualquer possibilidade...

Lacrimosa