quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Cena 70: Lembranças...

Lembra daquela casa vazia? Eu sempre lembrarei, principalmente, dos dias frios que passamos lá. Eu preenchi aquela casa com lembranças boas e ruins. Sim, lembranças ruins, para nunca esquecer o mal que você me fez. Para nunca esquecer a sua covardia e medo da verdade. Para nunca esquecer que você sempre acreditou no que via, no que ouvia, e não no que sentia. Para nunca esquecer o quanto você mentiu. Para nunca esquecer que você só se alimentava de passado e se negava a viver o presente. Para nunca esquecer as acusações que ouvi de você. As feridas que, graças a você, ficarão abertas a vida toda.
Obrigada por quebrar meu coração. Obrigada por me quebrar em tantos pedaços. Agora eu me fortaleci. Obrigada ainda, e acima de tudo, por me mostrar que o Amor Verdadeiro existe, e que apesar de tudo que aconteceu, foi o que existiu entre nós, e ninguém poderá mudar isso.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Cena 68: Tem coisa melhor?

Rir a ponto de não agüentar mais.
Um banho quente num dia de muito frio.
Um banho frio num dia de muito calor.
Aquela encarada de fazer tremer.
Receber e-mail de alguém que você gosta e que não manda nunca.
Dirigir por um lindo caminho.
Escutar sua música favorita tocar no rádio.
Deitar na cama e escutar a chuva cair.
Cheiro de terra molhada.
Tomar aquele banho e dormir na sua própria cama depois de acampar durante 4 dias.
Uma ligação de alguém que está distante.
Uma Coca-Cola gelada com os amigos.
Rir de você mesmo.
Rir sem motivo algum.
Rir de algo que acabou de lembrar.
Acordar e descobrir que ainda pode dormir por mais algumas horas.
Gastar tempo com os velhos amigos.
Letras de música no encarte do seu novo CD para poder cantar junto sem se sentir idiota.
Brincar com o novo bichinho de estimação.
Ter alguém mexendo no seu cabelo.
Chocolate quente.
Ver a expressão no rosto de alguém quando abre o seu tão esperado presente.
Olhar o pôr-do-sol.
Fazer bolo de chocolate e raspar a panela da calda.
Comer brigadeiro na panela.
Passeios noturnos perto de um rio sob o céu estrelado.
Alguém fazer um piquenique para você.
Assistir ao seu filme preferido até decorar as falas.
Ganhar sua caixa de bombons preferida quando menos se espera.
Ver o seu filme preferido passar na TV.
Uma ligação ou mensagem carinhosa no meio da madrugada.
Dar um abraço em alguém especial.
Dizer a verdade.
Pedir desculpas.
Perdoar.
Ser perdoado.
Se fortalecer com problemas.
Bife de fígado com muita cebola.
Aliás, tudo com muita cebola.
Suco de laranja, de abacaxi e de manga.
Pastel de strogonoff com queijo.
Pão de queijo.
Fazer as pazes com alguém que você ama.
Amar incondicionalmente seus amigos.
Ter verdadeiros amigos.
Amar e ser amado.
Ter alguém ao seu lado que realmente lhe ama e que estaria disposto a ficar com você para o resto da vida.
Ler um livro ótimo e ter vontade de ler novamente quando ele acaba.
Dormir final de semana quando está chovendo ou muito frio.
Assistir filme de madrugada tomando Pepsi e comendo besteira.
Poder trabalhar.
Poder estudar.
Ter a consciência tranqüila quando te acusam de alguma coisa que você não fez.
Ver a verdade ser revelada e o arrependimento daqueles que te acusaram.
Acordar ao lado da pessoa que você ama.
Conseguir perceber e dar valor às coisas simples da vida.

sábado, 26 de setembro de 2009

Cena 67: Temperamento Das Mulheres

Homem: O que você tem?
Mulher: Nada.
Homem: Foi alguma coisa que eu disse?
Mulher: Não.
Homem: Foi alguma coisa que eu não disse?
Mulher: Não.
Homem: Foi algo que eu fiz?
Mulher: Não.
Homem: Foi algo que eu deveria ter feito?
Mulher: Não.

...

Homem: Foi alguma coisa que eu disse referente a algo que fiz, quando a coisa que fiz não deveria ter sido feita, ou pelo menos deveria ter sido feita de modo diferente, mais de acordo com os seus sentimentos?
Mulher: Talvez.
Homem: Eu sabia!!!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Cena 66: Quando estou com você...

...não é apenas pelo desejo de sentir o cheiro inconfundível do teu corpo, o calor dos teus abraços, a doçura dos beijos úmidos, as palavras cálidas que só os enamorados pronunciam. Quando está ao meu lado sinto uma imensa alegria envolvendo todo o meu ser! Você não é apenas a companhia mais agradável que me dá forças para compreender as vicissitudes do mundo, de enfrentar os inevitáveis percalços do destino. Quando estou triste você aquece os meus ânimos da mesma forma que o crepúsculo matinal desvirgina o véu da noite para acordar um novo dia. Com você aprendi que o amor não é um jogo de sedução, e que amar não se resume apenas em alguns momentos de prazer para afastar o medo da solidão. Se existisse uma canção para celebrar todos os momentos, você seria a pauta para expor todas as notas musicais. Quando está longe do meu raio de ação percebo que há sempre uma linha imaginária unindo você ao meu coração. Você é como um prelúdio que envolve as noites em todas as estações do ano! Que passeia incansavelmente na vereda das estrelas. Que surge a cada manhã na incandescência dos raios solares. Os carinhos de suas mãos são como um bálsamo mágico. Quando te conheci meus passos deixaram de ser incertos porque a luz dos teus olhos me livrou da escuridão. Eu poderia dizer tantas outras coisas para você, meu amor! Que você é tão importante quanto a água que bebo, aquele vento brando que sopra depois do anoitecer... Enfim, tudo em minha volta que é a razão do meu viver! Mas, prefiro resumir o que meu coração sente com uma frase: Amar você é viver em harmonia com a eternidade. E ainda que a felicidade seja uma incógnita entre nós, Eu te amo!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Cena 65

O verdadeiro objeto do conhecimento é a alma humana. A verdade vive oculta no espírito humano. Diluindo os próprios erros, é possível a cada ser descobri-la. A bondade é resultado do saber. Para alguém ser feliz é necessário ser bom e para ser bom e preciso ser sábio. Aquele que encontrou a verdade oculta em sua alma sente-se obrigado a ajustar com ela a sua conduta. Assim, o conhecimento do bem determina a prática da virtude. Não existem pessoas más, senão extraviadas. A maldade é produto da ignorância.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Cena 64: Institucionalizar

Às vezes eu tento fazer coisas, e não funcionam do jeito que eu queria. E eu fico muito frustrada. É tipo... eu tento muito fazer, e gasto meu tempo, mas não funciona do jeito que eu queria. É como... eu me concentro muito nisto, mas não funciona. E tudo que eu faço, tudo que eu tento... nunca dá certo. E... eu preciso de tempo para pensar nisso.

Tem sempre alguém dizendo: “Hei, Ana, a gente soube que você tem passado por vários problemas ultimamente. Talvez você devesse sair, e talvez você devesse falar sobre isso, você se sentiria bem melhor”.
Eu digo: “Não. Está tudo bem. Eu resolvo. Só me deixe sozinha. Eu resolvo. Eu me viro”.
E eles dizem: “Bem, se você quiser falar sobre isso, eu estarei aqui, sabe, e, provavelmente, se sentirá bem melhor se falar sobre isso. Então por que você não fala sobre isso?”.
Eu digo: “Não! Eu não quero! Eu estou bem! Eu resolvo sozinha”.
Mas eles continuam me aborrecendo. Continuam me aborrecendo. E isso me deixa furiosa.

Eu estava no meu quarto, e estava olhando para a parede pensando em tudo, mas então, novamente, eu não estava pensando em nada. E então minha mãe chegou, e eu não sabia que ela estava lá. Ela chamou meu nome mas eu não a ouvi. Então ela começou a gritar: “Ana! Ana!”.
E eu digo: “O quê? Qual o problema?”.
Ela diz: “Qual o problema com você!?”.
Eu digo: “Não há nada errado, mãe”.
Ela diz: “Não me diga isso! Você está drogada!”.
Eu digo: “Não, mãe. Eu não estou drogada. Eu estou bem. Só estou pensando. Por que você não me traz uma Pepsi?.
Ela diz: “Não! Você está drogada!”
Eu digo: “Mãe! Eu estou bem. Só estou pensando”
Ela diz: “Não! Você não está pensando, você está drogada. Gente normal não age assim!”
Eu digo: “Mãe, só me traz uma Pepsi, por favor. Tudo que eu quero é uma Pepsi”
E ela não queria me dar! Tudo que eu queria era uma Pepsi!

Então eles te dão uma camisa branca com mangas longas enlaçadas nas suas costas, te tratam como ladrões, te drogam porquê são preguiçosos. Dá muito trabalho ajudar um louco.

Eles me prendem numa instituição. Dizem que é a única solução para me dar a ajuda profissional necessária. Para me proteger do inimigo: eu mesma.

Eu estava sentada no meu quarto e minha mãe e meu pai chegaram. Então eles puxam uma cadeira e se sentam. Eles dizem: “Ana, precisamos falar com você”
E eu digo: “OK. Qual o problema?”
Eles dizem: “Eu e sua mãe temos ouvido falar que você tem passado por vários problemas. E você tem desaparecido sem razão alguma. E nós estamos com medo de que você vá machucar alguém. Estamos com medo de que você se machuque. Então nós decidimos que seria de seu interesse se colocássemos você em algum lugar onde você possa conseguir a ajuda que precisa”.
E eu digo: “Espere! Do que vocês estão falando? “NÓS decidimos”? “MEU interesse”? Como vocês podem saber qual é o meu interesse? Como vocês podem dizer qual é o meu interesse? E o que vocês estão tentando dizer? EU estou louca? Eu fui para as SUAS escolas, eu fui para as SUAS igrejas, eu fui para os SEUS institutos de facilitação de aprendizado! Então como vocês podem dizer que EU estou louca?”

Eles dizem que vão consertar meu cérebro, aliviar meu sofrimento e minha dor, mas enquanto eles consertam minha cabeça, mentalmente eu estarei morta.

Não importa. De qualquer forma, eu, com certeza serei atropelada por um carro.

Trilha sonora do filme Iron Man.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Cena 63: Por que você me odeia mesmo?

Você apenas diz que me odeia e que gostaria que eu morresse, sem mais razões, sem mais explicações, então vou lhe dar os verdadeiros motivos por você me odiar tanto assim:

Você me odeia porque eu digo a verdade e nunca precisei mentir para tê-lo.
Você me odeia porque ele se apaixonou por mim mas gostaria que ele dissesse que ama você, assim como gostaria de ter ouvido os pedidos de casamento que eu ouvi.
Você me odeia porque não suporta saber que eu existo, e bem perto dele.
Me odeia porque ele sabe de todo o mal que você fez.
Você me odeia porque ele fala para você que me ama e nunca te amou. Nunca vai te amar.
Você me odeia porque gostaria de estar no meu lugar.
Você me odeia porque eu conheço a alma dele.

Todos os defeitos que você enumera em mim, na verdade são defeitos seus que você não aceita e não consegue se libertar. Então o melhor que você tem a fazer é colocá-los todos em uma só pessoa. A pessoa que, na verdade, você gostaria que fosse tão má quanto você idealiza. A pessoa que você gostaria que fosse tudo o que mais há de pior, para, nem que por um segundo, ele acreditar que você é quem merece o amor dele.

Você sabe as mentiras que se escondem na sua alma e na sua consciência, e é por isso que já está pagando por tudo.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Cena 62: Cena IX: Finalmente Livre

Hipnoterapeuta
"Você está mais uma vez rodeado por uma luz branca brilhante. Permita à luz guiá-lo para longe do seu passado até esta vida. Enquanto a luz se dissipa você lentamente voltará à sua consciência lembrando-se de tudo que você aprendeu. Quando eu disser para você abrir os olhos você retornará ao presente, se sentido em paz e refrescado. Abra os olhos, Nicholas".

O Milagre
Sexta-Feira a noite
O sangue ainda está em minhas mãos
Para pensar que ela me deixaria agora
Por aquele homem mal-agradecido

Único sobrevivente
Nenhuma testemunha para o crime
Eu devo agir rápido para encobrir
Eu acho que ainda há tempo

Ele pareceria desesperançado e perdido com este bilhete
Eles acreditarão nas palavras que eu escrevi

"Este sentimento dentro de mim
Finalmente achei meu amor, eu finalmente me libertei
Não estou mais dividida em dois
Eu tiraria minha própria vida antes de te perder"

Victoria
Sentindo-me bem esta tarde de Sexta
Eu encontrei com Julian
Disse que ficaríamos juntos logo

Ele sempre teve meu coração
Ele precisa saber
Eu me livrarei do Milagre
É hora dele partir

Este sentimento dentro de mim
Finalmente achei meu amor, eu finalmente me libertei
Não estou mais dividida em dois
Ele mataria seu próprio irmão se ele soubesse

O amor deles renovou-se
Eles se reuniriam
Em um caminho fora de vista
Eles achavam que ninguém sabia
Então veio o tiro naquela noite

O Dorminhoco
Uma última vez
Nós nos deitaremos hoje
Uma última vez
Até desaparecermos
Uma última vez
Nós nos deitaremos hoje
Uma última vez
Nós sumiremos

Enquanto seus corpos ainda jaziam
E o final se aproximava
Espíritos aparecem pelo ar
Todos seus medos desaparecem, tudo fica claro
Uma luz ofuscante aparece
Uma velha alma trocada por uma nova
Uma voz familiar aparece brilhando

Nicholas
Este sentimento dentro de mim
Finalmente achei minha vida, eu finalmente estou livre
Não estou mais dividido em dois
Eu aprendi sobre minha vida vivendo através de você

Este sentimento dentro de mim
Finalmente achei minha vida, eu finalmente estou livre
Não estou mais dividido em dois
Vivendo minha própria vida aprendendo de você

Nós nos encontraremos novamente minha amiga, algum dia

Reportagem da CNN
"notícias de Londres, França, Rússia e Itália apagaram sua história, todos antecipando o êxito do homem considerado ser membro da aristocracia Americana. Mas como vocês podem imaginar, enquanto os céus escureceram aqui sobre Washington, o humor escureceu também e as pessoas aqui estão começando a se resignar para a possibilidade de que eles estão testemunhando mais uma tragédia em uma longa cadeia de infortúnios. Reações de todos os lugares, de Washington e certamente de todo o resto do mundo tem perg…"

Hipnoterapeuta
"Abra seus olhos, Nicholas"

Nicholas
"AAAH!"

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Cena 61: Cena VIII: O Espírito Segue

Nicholas
De onde nós viemos?
Porque estamos aqui?
Para onde nós vamos quando morremos?
O que há além
E o que havia antes?
Alguma coisa é certa na vida?

Eles dizem, "A vida é curta"
"O aqui e o agora"
E "Você só tem uma chance"
Mas poderia haver mais,
Eu vivi antes,
Ou isso seria tudo que nós temos?

Se eu morrer amanhã
Eu estaria bem
Porque eu acredito
Que após nós morrermos
O espírito segue

Eu costumava ter medo da morte
Eu costumava achar que a morte era o fim
Mas isso foi antes
Eu não estou mais assustado
Eu sei que minha alma transcenderá

Eu posso nunca encontrar as respostas
Eu posso nunca entender porque
Eu posso nunca provar
O que eu sei ser verdade
Mas eu sei que eu ainda tenho que tentar

Se eu morrer amanhã
Eu estaria bem
Porque eu acredito
Que após nós morrermos
O espírito segue

Victoria
"Siga adiante, seja bravo
Não chore no meu túmulo
Porque eu não estou mais aqui
Mas por favor nunca deixe
Suas lembranças de mim desaparecer"

Nicholas
Seguro na luz que me rodeia
Livre do medo e da dor
Minha mente questionadora
Tem me ajudado a achar
O significado na minha vida de novo
Victoria é real
Eu finalmente sinto
Em paz com a garota nos meus sonhos
E agora que eu estou aqui
Está perfeitamente claro
Eu descobri o que tudo isso significa

Se eu morrer amanhã
Eu estaria bem
Porque eu acredito
Que após nós morrermos
O espírito segue

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Cena 60: II - Uma Última Vez


Nicholas
Não faz o menor sentido
Esse final trágico
Apesar das evidências
Ainda há alguma coisa faltando

Ouvi alguns dos rumores contados
Um gosto da fortuna de alguém
Victoria feriu sua alma?
Ela lhe disse adeus?

Victoria
Uma última vez
Nós nos deitaremos hoje
Uma última vez
Até desaparecermos
Uma última vez
Nós nos deitaremos hoje
Uma última vez
Nós lentamente sumiremos

Nicholas
Aqui estou eu dentro da casa dele
Ela guarda as muitas pistas
Para minhas suspeitas
E enquanto eu estou aqui neste momento
Eu finalmente sou mostrado o que eu sempre soube

Coincidência eu não posso crer
Quando meus sonhos de criança
lentamente tornam-se verdadeiros

Essas são as recordações dela
Acordadas pelos meus olhos
Esta casa trouxe de volta à vida

Uma porta aberta
Eu passo por ela
Para dentro do quarto dele

Sentindo tanto frio quanto do lado de fora
As paredes desaparecem
Para alguma mulher que está gritando
Um homem suplica perdão
Suas palavras eu não consigo ouvir

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Cena 58: Ato II - Cena VI: Casa


O Dorminhoco
Brilho – lago de fogo
Linhas me elevam
Minha mente transborda desejo
Confinado e exausto

Viver essa charada
Está me levando a lugar nenhum
Eu não consigo matar essa charada
O sangue frio da cidade me chama pra casa
Casa
É o que eu desejo
Voltar para casa onde eu pertenço

A cidade – Ela me chama
Cenas decadentes da minha memória
Tristeza – Eternidade
Meus demônios estão vindo para me buscar

Socorro – Eu estou caindo, eu estou engatinhando
Eu não consigo me manter afastado de seu domínio
Não posso manter, esta rotina
Me chama de volta para meu lar

O Milagre
Eu lembro da primeira vez que ela veio até mim
Abriu sua alma a noite toda e chorou

Eu lembro que me disseram que há um novo amor que nasce para cada um que morre

Eu nunca imaginei que eu
Poderia seguir com essa vida
Mas eu não consigo resistir a mim mesmo
Não importa o quanto eu tente

Vivendo suas outras vidas
Está levando-os a lugar nenhum
Eu a farei minha esposa
Sua doce tentação me chama pra casa
Casa
É o que eu desejo
Minha casa onde ela pertence

Seu êxtase – significa muito para mim
Mesmo traindo meu próprio sangue
Victoria assiste e atenciosamente sorri
Ela está me levando para minha casa

Socorro – Ele é meu irmão, mas eu a amo
Eu não consigo ficar longe do seu toque
Decepção, desonra
Está me chamando para minha casa

Nicholas
A história dela – possui a chave
Destrancando sonhos da minha memória
Resolvendo esse mistério
É tudo que é uma parte de mim

Socorro – regressão, obsessão
Eu não consigo ficar longe do seu toque
Deixando sem dúvidas, para descobrir
Está me chamando de volta para minha casa

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Cena 57: Cena V: Pelos Seus Olhos


Nicholas
Ela realmente nunca teve uma chance
Naquela decisiva noite enluarada
Sacrificada sem uma luta
Uma vítima das circunstâncias

Agora que eu estou a par
E eu expus esta tragédia
Uma tristeza cresce dentro de mim
Tudo isso parece tão injusto

Eu estou aprendendo tudo sobre minha vida
Olhando pelos olhos dela

Logo além dos portões do cemitério
Onde a grama está alta
Eu vi a escritura na sua pedra
Eu me senti como se estivesse sufocando

Em doce memória de nossa criança
Tão inocente, olhos bem abertos
Eu me senti tão vazio enquanto chorava
Como se parte de mim tivesse morrido

Eu estou aprendendo tudo sobre minha vida
Olhando pelos olhos dela

E enquanto a imagem dela
Vagava pela minha cabeça
Eu chorei como uma criança
Enquanto deitava acordado na cama

E eu sei como é
Perder alguém que você ama
E eu me senti exatamente igual

Ela não recebeu nenhuma opção
Desespero roubou sua voz
Eu ganhei muito mais na vida
Eu tenho um filho, eu tenho uma esposa

Eu tive que sofrer uma última vez
Para pesar por ela
Aliviar a angústia do meu passado
Para descobrir quem eu fui finalmente

A porta se escancarou
Eu estou mudando com os acontecimentos
Olhando pelos olhos dela

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Cena 56: Cena IV: Além Dessa Vida

Manchete: "Assassinato, jovem garota morta
Tiroteio desesperado em Echo’s Hill
Final terrível, assassino morreu
Suicídio evidentemente".

Uma testemunha ouviu um som apavorante
Ele correu para encontrar uma mulher morta e
Caída no chão

Em pé ao lado dela estava um homem
Nervoso, tremendo, arma na mão
Testemunha disse que tentou ajudar
Mas ele apontou a arma para si mesmo

Seu corpo caiu ao lado daquela pobre jovem
Após gritar em vão
A testemunha correu para chamar assistência
Um triste fim para um caso amoroso partido

Nossos feitos têm viajado para longe
O que nós temos sido é o que nós somos

Ela queria amor eterno
Mas ele tinha um outro plano
Ele caiu em um caminho maligno
Ela teve que deixá-lo
Ela disse, "Eu não posso amar um homem rebelde".

Ela poderia ter encontrado uma razão para perdoar
Se ele pelo menos tivesse tentado mudar
Teria sido aquele encontro fatal premeditado?

Teria acontecido uma luta violenta?
Havia todos os indícios que levavam a isso
A testemunha achou um canivete no chão
Estava a vítima despreparada?
Eles continuaram a investigar
Eles encontraram um bilhete no bolso do assassino
Poderia ser uma carta de suicídio
Talvez ele tivesse perdido o amor dela

Eu sinto que há apenas uma coisa a fazer
Eu prefiro acabar logo com minha vida
A viver tendo te perdido

Nossos feitos têm viajado para longe
O que nós temos sido é o que nós somos

Tudo que aprendemos dessa vez
(O que nós temos sido é o que nós somos)
É carregado além dessa vida

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Cena 55: II: Tragédia Fatal

Nicholas
Sozinho de noite
Eu me sinto tão estranho
Eu preciso encontrar
Todas as respostas para meus sonhos

Quando eu durmo à noite
Eu ouço os choros
O que isso significa?

Eu fechei a porta e viajei para outra casa
Encontrei um velho homem, ele parecia estar sozinho
Eu senti que podia confiar nele
Ele falou comigo aquela noite:
"Você sabia que uma garota foi assassinada aqui?"
"Essa tragédia fatal foi comentada por muitos anos"

Victoria se foi para sempre
Somente lembranças permanecem
Ela faleceu
Ela era tão jovem

Sem amor
Sem verdade
Não pode haver volta

Sem fé
Sem esperança
Não pode haver paz de espírito

Enquanto a noite se passava
Eu comecei a achar meu caminho
Eu aprendi sobre uma tragédia
Um mistério ainda hoje

Eu tentei conseguir mais respostas
Mas ele disse, "Você está sozinho"
E então se virou e me deixou
Enquanto eu ficava lá parado sozinho
Ele disse, "Você saberá a verdade
Conforme seus dias futuros se revelem"

Sem amor
Sem verdade
Não pode haver volta

Sem fé
Sem esperança
Não pode haver paz de espírito

Hipnoterapeuta
"Agora é o momento de ver como você morreu. Lembre-se que a morte não é o fim, mas apenas uma transição".

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Cena 54: Cena III: I - Pelas Minhas Palavras


Nicholas
Tudo que seus olhos já viram
Tudo que você já ouviu
Está marcado na minha memória
Falado pelas minhas palavras

Tudo que eu carrego comigo
É tudo que você deixou para trás
Nós estamos dividindo uma eternidade
Vivendo em duas mentes
Ligados por um fio sem fim
Impossível de partir

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cena 53: II: Estranho Dèja Vú


Nicholas
Estranha sensação subconsciente
Relaxamento inconsciente
Que pesadelo agradável
E eu mal posso esperar para chegar lá de novo

Toda vez que eu fecho meus olhos
Há uma outra surpresa vivida
Outra vida completa esperando
Capítulos inacabados, sumindo

Mais perto agora - Vagarosamente ficando à vista
Eu cheguei - Brilho do sol ofuscante relusindo

Há uma casa que eu estou me aproximando
Arranjos familiares, nada novo
Há uma trilha guiando até lá
Com um frio assustador no ar

Há um quarto no alto da escada
Toda noite eu me dirijo para lá
Há uma garota no espelho
Seu rosto está se tornando mais claro
Jovem criança, você poderia me dizer porque eu estou aqui?

Nos seus olhos eu sinto uma história nunca contada
Por trás do disfarce há alguma coisa chorando na sua alma

Victoria
Hoje à noite eu estive procurando por isso
Um sentimento que está dentro de mim
Hoje à noite eu estive procurando
Aquele que ninguém conhece
Tentando se libertar

Eu não consigo me ajudar
Eu me sinto como se estivesse perdendo a cabeça
Parte meu coração em dois
Eu não sou aquela que o Dorminhoco achou que conhecia

Nicholas
Voltando aos meus pés de novo
Olhos abertos para o mundo real
Metropolis me rodeia
O espelho despedaçou a garota

Porque esta outra vida
Está me assombrando todo dia?
Eu penetraria para o outro lado
Se eu descobrisse o modo

Alguma coisa é extremamente familiar
A sensação é muito difícil de abalar
Eu poderia ter vivido naquele outro mundo?
Esta é uma ligação que eu estou destinado a fazer

Eu ainda estou procurando, mas eu não sei o que
A chave perdida para abrir a porta da minha mente

Hoje eu estou procurando po isso
Um sentimento que não irá embora
Hoje eu estou procurando por isso
O único que eu conheço
Tentando se libertar

Eu não consigo me ajudar
Eu me sinto como se estivesse perdendo a cabeça
Parte minha alma em duas
Eu não sou aquele que sempre achei que conhecia

Eu não consigo me ajudar
Eu me sinto como se estivesse perdendo a cabeça
Fantástico e estranho dejà vú
Mas eu não me importo
Eu espero achar a verdade

domingo, 6 de setembro de 2009

Cena 52: Cena II: I - Overture 1928


Quem esquecer do passado, está condenado a revivê-lo.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Cena 51: Metropolis Pt. 2 - Cenas de uma memória - Ato I - Cena I: Regressão


Hipnoterapeuta
"Feche seus olhos e comece a relaxar. Respire fundo, e expire devagar. Concentre-se na sua respiração. Com cada respirada você fica mais relaxado. Imagine uma luz branca brilhante sobre você, focando nessa luz enquanto ela flui pelo seu corpo. Permita-se viajar enquanto você entra cada vez mais fundo em um estado mental mais relaxado. Agora enquanto eu contar de dez até um, você se sentirá mais tranqüilo, e calmo. Dez. Nove. Oito. Sete. Seis. Você entrará em um lugar seguro onde nada poderá te machucar. Cinco. Quatro. Três. Dois. Se a qualquer momento você quiser voltar, tudo o que deve fazer é abrir os olhos. Um."

Nicholas
Seguro na luz que me rodeia
Livre do medo e da dor
Minha mente subconsciente
Começa a rodar pelo tempo
Para encontrar o passado mais uma vez

Nada parece real
Eu estou começando a me sentir
Perdido no nevoeiro de um sonho
E conforme eu me aproximo
A cena se torna cada vez mais clara
Como se eu olhasse minha vida em uma tela

Olá Victoria, prazer em vê-la,
Minha amiga

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Cena 50: Metropolis Pt. 1: O Milagre e o Dorminhoco

O sorriso do amanhecer
Maio chegou cedo
Ela levou uma dádiva do seu lar
A noite derramou uma lágrima
Para dizê-la do medo
E da tristeza e dor
Ela nunca encolherá

Morte é a primeira dança, eterna

Não há mais liberdade
Ambos estão confinados às suas mentes
Eu disse que há um milagre para cada dia que eu tento
Eu disse que há um novo amor que nasce
Para cada um que morreu
Eu disse que não haveria ninguém para visitar
Quando me sentir sozinho e com medo
Eu disse que se você sonha com um mundo próximo
Você se encontrará nadando em um lago de fogo
Como uma criança, eu pensei que poderia viver
Sem dor, sem tristeza
Mas como um homem
Pensei que tudo partisse de mim
Eu estou dormindo e não tenho mais medo

Em algum lugar como uma cena da memória
Há um mérito descrito em mil palavras
Escapando de encarar os rostos antes de mim
Ele esconderá longe e nunca será ouvido novamente

Engano é o segundo sem final

O sangue frio da cidade ensina-nos a sobreviver
Apenas mantenha meu coração nos seus olhos
E ficaremos vivos

O terceiro chega...

Antes que as folhas caiam
Antes que tranquemos as portas
Precisará haver a terceiro e última dança
Essa única será para sempre
Metropolis assiste e atenciosamente sorri
Ela estará levendo-a para casa

Só poderá levá-lo a um lugar
Quando a luta entre nossas crianças tiver terminado
Agora, o Milagre e o Dorminhoco sabem
Que o terceiro é o amor

O Amor é a Dança da Eternidade

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Cena 49: Apresentando...

O nome do meu blog vem do CD do Dream Theater "Scenes From A Memory". Mais precisamente da música "Home". Resolvi postar aqui a história do CD pois é simplesmente lindo e profundo demais. Cada dia uma parte dela. Espero que gostem. Boa viagem.


Personagens
Nicholas
Victoria Page
Senador Edward Baynes (O Milagre)
Julian Baynes (O Dorminhoco)
O Hipnoterapeuta

Chave Cronológica
Passado
Presente

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Cena 48


Meus pensamentos estão me perseguindo, são como ecos atrás de mim. O fluxo corrente do meu sangue é fonte da minha inspiração que me leva até você. Abandonando toda a esperança para trás... estou cercada, estou presa pela liberdade, entorpecida e separada de mim.