sexta-feira, 31 de julho de 2009

Cena 23: Enquanto isso na Reversal Russa... #1

Na União Soviética, os presentes abrem você.

-

Na União Soviética, os travesseiros brincam de guerra com você.

-

Na União Soviética, o sorvete lambe você.

-

Na União Soviética, o cigarro fuma você.

-

Na União Soviética, a cama dorme em você.

-

Na União Soviética, prédios se atiram contra aviões.

Cena 22: No alto do castelo há uma linda princesa...

...muito carente - que foi ali trancada, e é guardada por um grande e terrível dragão:

HEAVY METAL:
O protagonista chega no castelo numa Harley Davidson, mata o dragão, enche a cara de cerveja com a princesa e depois transa com ela. Posteriormente se separam quando ela descobre que ele transou com uma groupie.

METAL MELÓDICO: O protagonista chega no castelo num cavalo alado branco, escapa do dragão, salva a princesa, fogem para longe e fazem amor.

THRASH METAL: O protagonista chega no castelo, duela com o dragão, salva a princesa e transa com ela.

POWER METAL: O protagonista chega brandindo sua espada e trava uma batalha gloriosa contra o dragão. O dragão sucumbe enquanto ele permanece em pé, banhado pelo sangue de seu inimigo, sinal de seu triunfo. Resgata a princesa. Esgota a paciência dela com auto-elogios e transa com ela.

FOLK METAL:
O protagonista chega acompanhado de vários amigos e duendes tocando acordeon, alaúde, viola e outros instrumentos estranhos. Fazem o dragão dormir depois de tanto dançar, e vão embora, sem a princesa, pois a floresta está cheia de ninfas, elfas e fadas.

VIKING METAL: O protagonista chega em um navio, mata o dragão com um machado, assa e come. Estupra a princesa, pilha o castelo e toca fogo em tudo antes de ir embora.

DEATH METAL: O protagonista chega, mata o dragão, transa com a princesa, mata a princesa e vai embora.

BLACK METAL: Chega de madrugada, dentro da neblina. Mata o dragão e empala em frente ao castelo. Sodomiza a princesa, a corta com uma faca e bebe o seu sangue em um ritual até matá-la. Depois descobre que ela não era mais virgem e a empala junto com o dragão.

GORE: Chega, mata o dragão. Sobe no castelo, transa com a princesa e a mata. Depois transa com ela de novo. Queima o corpo da princesa e transa com ele de novo.

SPLATTER: Chega, mata o dragão, abre-o com um bisturi. Sodomiza a princesa com as tripas do dragão. Abre buracos nela com o bisturi e estupra cada um dos buracos. Tira os globos oculares da princesa e estupra as órbitas. Depois mata a princesa, faz uma autópsia, tira fotos, e lança um album cuja capa é uma das fotos.

DOOM METAL: Chega no castelo, olha o tamanho do dragão, fica deprimido e se mata. O dragão come o cadáver do protagonista e depois come a princesa.

WHITE METAL: Chega no castelo, exorciza o dragão, converte a princesa e usa o castelo para sediar mais uma "Igreja Universal do Reino de Deus".

NEW METAL: Chega no castelo se achando o bonzão e dizendo o quanto é bom de briga. Quer provar para todos que também é foda e é capaz de salvar a princesa. Acha que é capaz de vencer o dragão; perde feio e leva o maior cacete. O protagonista New Metal toma um prozak e vai gravar um disco "The Best Of".

GRUNGE: Chega drogado, escapa do dragão e encontra a princesa. Conta para ela sobre a sua infância triste. A princesa dá um soco na cara dele e vai procurar o protagonista Heavy Metal. O protagonista grunge sofre uma overdose de heroína.

ROCK N'ROLL CLÁSSICO: Chega de moto fumando um baseado e oferece para o dragão, que logo fica seu amigo. Depois acampa com a princesa numa parte mais afastada do jardim e depois de muito sexo, drogas e rock n roll, tem uma overdose de LSD e morre sufocado no próprio vômito.

PUNK ROCK: Cospe no dragão, joga uma pedra nele e depois foge. Pixa o muro do castelo com um "A" de anarquia. Faz um moicano na princesa e depois abre uma barraquinha de fanzines no saguão do castelo.

EMOCORE: Chega ao castelo e conta ao dragão o quanto gosta da princesa. O dragão fica com pena e o deixa passar. Após entrar no castelo ele descobre que a princesa fugiu com o protagonista Heavy Metal. Escreve uma música de letra emotiva contando como foi abandonado pela sua amada e como o mundo é injusto.

PROGRESSIVO: Chega, toca um solo virtuoso de guitarra de 26 minutos. O dragão se mata de tanto tédio. Chega até a princesa e toca outro solo que explora todas as técnicas de atonalismo em compassos ternários compostos aprendidas no último ano de conservatório. A princesa foge e vai procurar o protagonista Heavy Metal.

HARD ROCK: Chega em um conversível vermelho, com duas loiras peitudas e tomando Jack Daniel's. Mata o dragão com uma faca e faz uma orgia com a princesa e as loiras.

HARDCORE: Chega de skate, organiza um protesto em frente ao castelo contra a ditadura dos dragões. Sobe na torre, transa com a princesa e grava um álbum com 25 faixas de 2 minutos cada descendo o pau no governo.

GLAM ROCK: Chega no castelo. O dragão rí tanto quando o vê que o deixa passar. Ele entra no castelo, rouba o hair dresser e o batom da princesa. Depois a convence a pintar o castelo de rosa e a fazer luzes nos cabelos.

GOTHIC METAL: Chega no castelo e monta uma banda com a princesa e o dragão fazendo vocais líricos e guturais respectivamente.

INDIE ROCK: Entra pelos fundos do castelo. O dragão fica com pena de bater em um nerd franzino de óculos e deixa ele passar. A princesa não aguenta ouvir ele falando de moda e cinema, e foge com o protagonista Heavy Metal.

NEW WAVE: Ao chegar no castelo mata o dragão e doa toda a sua carne às familias pobres da África.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Cena 21: Signos na versão de um psiquiatra Gaudério

Áries: Bicho mais fogueteiro e metido não tem. Ele atropela todo mundo que nem bagual solto em feira de porcelana. Tem a mania de ser sempre o primeiro. E é! O primeiro louco! Lema: “Não tenho tudo que amo... Mas vou conseguir já, já!”.

Touro: Esse quer ser o maior dos latifundiários. Quer ser o dono dos rebanhos, da estância e das plantações. Se bobear, invade o planeta inteiro. Mas tem desculpa: é ele quem dá o churrasco, faz as trovas, declama e toca a gaita. Êta, índio bagual! Lema: “Não tenho tudo que amo, mas é uma questão de tempo e paciência”.

Gêmeos: O vivente só quer assuntá. Sabe de tudo, e sabe contá causo que é uma beleza. Não esquenta banco e parece que tem bicho carpinteiro. Lema: “Não tenho tudo que amo, mas também nada que me ama me tem”.

Câncer: Esse é chorão que é um inferno. Tem uma memória do cão, se lembra tim-tim-por-tim-tim quem ganhou cada Califórnia e cada Gre-Nal, e sabe de cor tudo o que tu disseste pra ele naquele 4 de maio de 1984. Mas é o dono da posada e o que te prepara o putchero nas noites de Minuano. É dos piores. Lema: “Não tenho tudo que amo, mas amo tudo que tenho”.

Leão: Foi por causa desse que inventaram o tal de complexo de superioridade. Bicho mais convencido, não há. É o primeiro prêmio em interpretação nos festivais, arrasa na chula, é a mais bela prenda e o rei do gado. Exige respeito e não consegue ficar na mesma sala com uma tevê ligada, pois não admite concorrência. Vai sê o chefe da ala dos Napoleão lá no São Pedro. Lema: “Tudo que tenho me ama”.

Virgem: Virge! Cruzes! Esse é roxo por limpeza. Tu acabas de assá um churrasco e ele já tá lavando os espetos. Tem cuia própria pro mate, porque é mais higiênico, e tá sempre de vassoura na mão. Parece normal, mas é dos mais maníacos. Lema: “Não tenho tudo que examino, mas examino tudo que tenho”.

Libra: É danado de namorador. Só quer pezinho pra cá e pezinho pra lá. Não faz outra cosa. Também adora se metê em política, mas só fica olhando, em cima do muro, enquanto a indiada dá um duro aqui embaixo. Metido a aristocrata, come churrasco com garfo e faca e usa guardanapo. Nem sei se não usa cuecão de florzinha por baixo das bombacha, mas pode ir tirando o cavalinho da chuva, porque é só frescura. Ele não é viado. Lema: “Não tenho tudo que amo, mas vou ficar conhecendo no sábado à noite”.

Escorpião: O loco dos loco. Pra puxá o facão não faz cerimônia. Mas, depois de todo o estardalhaço, fica com uma cara de culpado e arrependido, que irrita até a mãe dele. Não perde a mania de mexer nos trauma... dos outros. O velho Freud, que também não era dos mais normal, tinha o tal de ascendente em Escorpião. Esse nem com banda... Lema: “Não possuo tudo que amo, mas amo tudo que possuo. E cuido de perto”.

Sagitário: O índio aqui acha que é o verdadeiro centauro dos pampas, citado várias vezes pelos nossos historiadores. Extraviou-se do seu bando e não sabe se foi perto de Vacaria ou de Pelotas, de tão loco. Lema: “Não tenho tudo que amo, mas não me importo com isso”.

Capricórnio: Esse é o introvertido. Metido a tímido, mas foi ele quem descobriu o complexo de inferioridade. Não quer incomodar, e pra fazê ele entrá no rancho ou se chegá pra roda de mate é um custo. Não se acha nada, sonha com ele no futuro, que é quando ele acha que vai existir. Outro que só internando. Lema: “Tenho tudo que amo, e trabalho para ter mais ainda”.

Aquário: Ele qué mudá o mundo. Não muda nem as tela dos galinheiro e as lâmpada queimada. Adora uma revolução, um protesto ou deixá o povaréu de cabelo em pé. No fundo o que ele quer é aparecer. Lema: “Não tenho tudo que amo, mas estou pouco me lixando para posses”.

Peixes: Já esse, quer é desaparecer. Vive com a cabeça nas nuvens, viajando... Diz que conversa com o Boitatá, já viu o Negrinho do Pastoreio, e recebe o Sepé Tiaraju. Mas o que tem de doido tem de bonzinho. É só não contrariar. (Olha o racismo agora é “Afrodecendentezinho do Pastoreio”). Lema: “Eu acredito em gnomos, fadas, coelhinho, papai Noel e assemelhados. Não me siga. Também não me lembro para onde estava indo”.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Cena 20: The Crow

Sempre me emociono com o final deste filme.

Cena 19: Quer ser parceiro do meu blog?

Para fazer parceria com o blog Cenas Da Minha Memória, deixe um comentário ou envie um e-mail para taina.steinmetz@gmail.com. Coloque meu banner no seu blog e me envie o seu para que seja postado aqui.

banner 120x60





PARCEIROS


Procurando o que fazer na internet? Acesse o Minilua! O Adversário

terça-feira, 28 de julho de 2009

Cena 18: Cinco razões para acreditar que o computador é uma máquina feminina


1. Assim que se arranja um, aparece outro melhor no dia seguinte.

2. Ninguém, além do criador, é capaz de entender a sua lógica interna.

3. Mesmo os menores errinhos que você comete são guardados na memória para futura referência.

4. A linguagem nativa usada na comunicação entre computadores é incompreensível para qualquer outra espécie.

5. A mensagem "bad command or file name" é tão informativa quanto, digamos, "se você não sabe por que estou com raiva, não sou quem vai explicar!"

Cena 17: Algumas frases de Diogo Mainardi (concordo com todas)

- Chega de exaltar hipocritamente o debate de idéias. Onde já se viu um político brasileiro dotado de idéias?

- A leitura é um fetiche nacional. Atribuímos grande importância a leitura. Desde que sejam os outros a ler.

- O hábito da leitura constitui o maior obstáculo para a ascensão social e o poder pessoal no Brasil.

- Duvido que um dia o Brasil venha a se tornar uma nação letrada. Se por acaso isso acontecer, os brasileiros lerão os livros errados. Se calharem de ler os livros certos, não conseguirão entender uma palavra do que leram.

- O Brasil tem mais de trinta leis de incentivo à cultura. É incentivo demais e cultura de menos.

- Cinema nacional é mesmo uma coisa triste.

- Arte não é feita para ser vendida.

- Em todas as circunstâncias da vida, eu gostaria de ter uma pulseirinha vip, que me assegurasse abrigo contra intempéries, distância do povo e alguém para pagar minhas contas.

- O melhor serviço que Gil pode prestar a cultura brasileira é parar de cantar.

- O Brasil deveria desistir dessa bobagem de querer ter uma cultura. Ninguém ia notar a falta.

- O PT gosta de folclore. Mussolini também gostava. Hitler também gostava. Stalin também gostava. Folclore é coisa de regimes nacionalistas e totalitários. Até hoje funciona assim.

- O Brasil é mesmo o fim da picada.

- Escola não serve pra nada. A importância do ensino para o avanço social é uma mistificação que deve ser combatida. Eu nunca gostei de estudar.

- Atenção: sempre que um petista usar o termo cidadão, é porque ele quer meter a mão no seu dinheiro.

- Quando o poder público não sabe resolver um problema, como a criminalidade ou a miséria, recorre sempre a educação. A educação é o principal mito paralisante do Brasil, o argumento que sufoca todos os demais. Se os políticos parassem de usar a educação para encobrir a sua incompetência e inoperância, o Brasil teria alguma chance de ir para a frente.

- As empresas estatais sempre constituíram um precioso reservatório de cargos para a barganha política.

- Lula é uma espécie de bispo Edir Macedo da política.

- É desagradável dizer uma coisa dessas, mas o jeito mais eficiente de ser oposicionista no Brasil, neste governo ou nos anteriorers, é sonegar impostos.

- A convicção simplória de que todos os políticos são enganadores precisa ser restaurada urgentemente.

- Um dos trunfos da Igreja Universal é a incorporação das técnicas dos programas de auditório. Os pastores sempre invocam aplausos para Jesus Cristo, como num show de calouros.

- De acordo com Edir Macedo, quando somos fiés ao dizimo, vemos-nos livres do sofrimento. Uma espécie de Baú da Felicidade do espírito.

- Graças aos votos de seu rebanho de pobres, os avangélicos também puderam eleger uma poderosa bancada parlamentar.

- Qualquer um pode atribuir-se milagres em nome de Deus. E, em nome de Deus, qualquer um pode enfiar a mão no bolso dos outros.

- A principal causa do fracasso nacional é o otimismo psicótico dos brasileiros.

- Futuro? Que futuro? O Brasil não tem futuro. Daqui a quinze anos, estaremos no mesmo buraco de agora.

- Sem diminuir o Estado, nunca iremos crescer. Não foi apenas o comunismo que morreu na queda do Muro de Berlim: a social-democracia também morreu.

- Saddam Hussein foi o maior importador de armas fabricadas no Brasil. Por isso perdeu todas as guerras em que se meteu.

- Um jeito simples e rápido de poupar dinheiro público é abolir o serviço militar obrigatório.

- Os países ricos não são ricos por acaso. São ricos porque sabem ganhar dinheiro.

- Eu sempre digo que, se todos os brasileiros concordam com algo, significa que esse algo só pode estar muito errado.

- Não existe preto, branco nem amarelo. Ou dividimos a humanidade em mais de mil etnias e línguas, ou acabamos com a classificação por raças, admitindo que somos todos parentes.

- O melhor jeito para acabar com o racismo no Brasil é eliminar o critério de raça. O movimento negro sempre lutou para que os negros se orgulhassem da sua própria cor. Eu aboliria essa idéia. Aboliria o Dia Nacional da Consciência Negra, a política de cotas, as ações afirmativas.

- O barroco brasileiro nunca foi nem será arte.

- De fato, o site oficial do Exército Brasileiro reconstrói da seguinte maneira nosso último golpe militar. 'Eufórico, o povo vibrou nas ruas com a prevalência da democracia, restabelecida com a vitória do movimento de março de 1964'. Um curioso conceito de democracia.

- É bom desconfiar de quem se diz patriota. Assim como é bom desconfiar de quem se diz democrático. Aliás, desconfie de tudo.

- Falar mal das pessoas é muito mais gratificante do que falar bem. Eu, se pudesse, só falaria mal.

- Até outro dia, meu filho só comia lendo seus livros. Agora ele prefere ver minha sobrinha cantar e dançar em cima da mesa, imitando Wanessa Camargo. Estamos todos perdidos.

- Os jogadores de futebol são a melhor demonstração da mobilidade social brasileira. Por mais pernas-de-pau que sejam, comportam-se de maneira altiva, como uma casta superior, evitando se misturar com o resto da gentalha, perfeitamente conscientes de que são eles que ditam a moda e as regras gramaticais.

- É a característica geral do país: camuflamos nosso mercenarismo com singelos diminutivos. O policial nunca cobra um suborno, mas uma 'ceverjinha'. O fiscal da prefeitura leva uma 'caixinha'. O político dá uma 'azeitadinha'. Ninguém se corrompe de forma direta, metódica, profissional. A gente é diletante até pra se vender.

- Chegamos a um ponto em que os mercenários entrangeiros poderiam ser mais confiáveis do que a polícia. Poderiam nos proteger melhor.

- Os compositores de música popular, agora, publicam livros com todas as suas letras. Quem consegue compreender o significado dessas letras nunca irá aprender a construir uma ponte, ou planejar o escoamento de um milharal, ou a obturar um dente cariado.

- Quem não está acostumado a argumentar é facilmente enganado. Por isso o Brasil não funciona.

- Lição número 1: não escreva. Lição número 2: se realmente tiver de escrever, 'trate o resto da humanidade aos tapas e pontapés'.

- A ambição é conceber uma verdade irrefutável, universal, eterna, de sabor bíblico, resumindo o dogma literário a uma única sentença, simples e linear: Quando a literatura não mata a humanidade, é a humanidade a matar a literatura.

- Eu fui convidado para falar sobre Ivete Sangalo no programa do Faustão. Não pude aceitar porque não sabia quem era Ivete Sangalo. Depois me informei. É aquela do comercial da Chevrolet.

- Futebol emburrece: é a coisa mais estupidificante que existe.

- O Brasil é o país do futuro. A gente não vai melhorar. São os outros que vão piorar.

- Eu sempre tive uma opinião muito mais negativa a meu respeito do que a maior parte dos meus detratores. Isso ajuda a não perder de vista a minha insignificância.

- O Brasil é um prato cheio para o sarcasmo e a avacalhação.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Cena 16 ~ Alex Botsaris


Dor não combina com racionalidade. É impossível pretender que alguém seja lógico quando seu universo psíquico está tomado por uma dor infinita.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Cena 12

Eu amo teus olhos, que me viram ao teu lado quando eu era simplesmente uma conhecida. Eu amo tua boca, que me roubou um beijo, e fez eu voar, flutuar e nunca mais parar de sonhar. Eu amo teus braços, que me protegem, confortam e acalmam. Eu amo teu corpo, que me aquece. Eu amo teu sorriso, que alegra meu dia. Eu amo tuas lágrimas, e seco-as quando necessário. Eu amo teu cheiro, que faz eu delirar. Eu amo tuas palavras, que me guiam e confortam. Eu amo teu jeito romântico. Eu amo teu jeito estressado. Eu amo teu jeito manhoso. Eu amo teu ciúme. Eu te amo depois das brigas. Todos os segundo, todos os minutos, todas as horas, todos os dias, todos os meses, em todas as estações, todos os anos.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Cena 11 ~ O invejoso

Você teme o invejoso? Por quê? O invejoso é um eterno expectador, pois enquanto:
Você pesca, ele olha o rio.
Você dorme pacificamente, ele perde o sono quando pensa em você.
Você acorda e saúda o sol, ele olha o seu bronzeado.
Você sai para o trabalho, ele calcula o seu salário.
Você constrói sua casa, ele julga a cor das tintas.
Você estuda, tem boas notas, ele se preocupa com esses números.
Você conquista um diploma, ele vive o medo do seu sucesso futuro.
Você levanta um prédio, ele escolhe uma janela para pular.
Você cura os doentes, ele adoece por causa disso.
Você ensina os seus alunos, ele tenta descobrir o que você não sabe.
Você tem a simpatia do chefe, ele prefere chamá-lo de puxa-saco.
Você recebe os aplausos, ele busca saber se alguém o vaia.
Você liga seu computador para serviço útil, ele coleciona programas de vírus.

O que ele realmente faz, quando faz: Você cria, ele copia! Ele é um eterno expectador... merece sua compaixão e não seu temor.

Existimos para sermos, não melhores do que os outros, mas para sermos melhores do que nós próprios.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Cena 10


Eu não lamento nada, nem o bem que me fizeram, nem o mal. Está tudo pago, esquecido... Não me importa o passado pois minha vida começa agora.

Edith Piaf

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Cena 9

Cuidado com seus pensamentos, eles se transformam em palavras.
Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações.
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos.
Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter.
Cuidado com seu caráter, ele controla o seu destino.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Cena 8 ~ Opening Into Nightmares

Você sabe o que é sentir uma tristeza infinita, capaz de devorá-lo por inteiro, sem que você possa ao menos levantar-se para pedir socorro? Não me refiro a uma tristeza comum, esta que é fundamental na vida de qualquer indivíduo.

Você sabe o que é chorar para que um novo dia não amanheça com a quase total certeza de que este dia será tão exaustivo quanto o que se foi? Você sabe o que é sentir-se inútil e completamente incapaz consigo mesmo? Você sabe o que é estar subordinado aos seus próprios sentimentos?

Você sabe o que é passar anos no mesmo estado de humor, com isso tragando-o para dentro de seu desespero, aumentando ainda mais a dor? Não falo de dor física, esta muitas vezes é eventual. Refiro-me a uma dor mental esmagadora capaz de sugar todas as suas forças. Capaz de arrastá-lo e atraí-lo para os seus mais terríveis pesadelos.

Você sabe o que é rezar para morrer? A dor e o sofrimento chegam a ser tantos que a aflição de morrer e a dor da morte já não mais importam, pelo contrário, a morte torna-se um tanto atraente a olhos amedrontados.

Você sabe como é ter vergonha e nojo de si mesmo ao perceber que permanece inerte a tudo e a todos? Você sabe o que é estar entorpecido pelas intermináveis lágrimas que insistem em cair em seu rosto, soluçando e a ponto de chorar sangue?

Você sabe o que é ter pena de si mesmo ao olhar-se no espelho? Você sabe o que é sentir uma fraqueza tão intensa sem saber de onde ela vem?

Você sabe o que é não ter mais vontade nem de se quer respirar? Você tem noção de como é tudo isto?

...

Você sabe, ao menos, do que estou falando?

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Cena 7

Humanos são assim... na escola nunca se levantou a questão: "Tudo bem matar pessoas más?". Mas, mesmo que isso fosse discutido, todos diriam: "Não, matar é errado", e fingiriam ser boas pessoas. Claro, esta é a resposta politicamente correta. As pessoas sempre tentam manter uma fachada em público.

Death Note - Episódio 2 (Confronto)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Cena 6

A foto acima eu retirei do blog Meavels Foundation, que é uma fundação contra o vegetarianismo.
Eu também sou contra o vegetarianismo, mas não a favor do consumo de carne, como a Maevels. O que me chamou atenção na imagem foi a frase "Vegetarianismo é Hipócrita", o que eu concordo plenamente. Destesto vegetarianos que dizem não comerem carne por acharem um desrespeito aos animais, entretanto, comem derivados (queijo, presunto, salame, etc.). Se acham desrespeito, então virem vegan. Bem simples. Vegetarianismo é pura hipocrisia.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Cena 5

Acabei não assistindo "Marley & Eu" ontem. O filme não estava disponível, mas assim que puder eu assistirei.

Não suporto quem adiciona no msn e ao invés de puxar conversa decente, fica perguntando: "qual sua idade?", "de onde você é?", "tem namorado?". Simplesmente abomino. Para mim é a mesma coisa que me pedir para ser bloqueado e excluído da minha lista de contatos. Mas o pior e fatal: "coloca uma foto sua ai". Pode ter certeza de que, se a pessoa te adiciona e começa com esse tipo de conversa, ela tem todas as intenções do mundo com você, menos de ser sua amiga.

Não, eu não estou de mau humor. Mas vai dizer que esse tipo de pessoa não tira do sério qualquer um?

Within Temptation é viciante. Preciso urgentemente do DVD "Black Symphony".

CAMPANHA: VOLTA PARA SANTIAGO, PAOLA. Melhor amiga. Melhores assuntos. Melhores atividades. Melhores passeios. Melhores idéias. Melhores momentos fazendo nada. Melhores piadas (tá, nem tanto). Melhores gargalhadas. E o principal: melhor parceira para canastra.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Cena 4



13 de julho: dia internacional do rock :) E para comemorar, um dos meus vídeos preferidos: "Time" do Pink Floyd.
Eu realmente gostaria que meus filhos nascessem nesse dia. Mas como não depende de mim, vou ficar só na esperança mesmo.

Ontem assisti quase toda a 2ª temporada de Gilmore Girls. A cada episódio a série fica mais perfeita.

Não preciso assistir "Marley & Eu" para dizer que é só mais um daqueles filmes que passa na Sessão da Tarde com bichinhos idiotas que, na grande maioria das vezes, falam e agem como seres humanos. São do time de futebol, baseball, são bombeiros, policiais. São os melhores no que fazem. Até ganham prêmios. Pelo que ouvi falar o cachorro de "Marley & Eu" não fala mas destrói a casa. Grande coisa. Até minha cadela faz isso. Eu não gosto muito de ficar criticando sem conhecer, por isso hoje vou passar na locadora e pegá-lo, se der tempo e se estiver disponível. Amanhã terei mais argumentos para falar mal de "Marley & Eu".

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Cena 3 ~ Suicídio Reverso

Cena 2

Não sou uma mulher convencional. Fato. Não gosto de ganhar flores, roupas, perfumes. Me sinto a pessoa mais fútil da face da terra quando alguém me dá um presente desse tipo. É algo do tipo: Um vestido não contribui para o meu crescimento, ao contrário de um CD. Mas... não adianta explicar... ninguém entenderia.

Sábado passado fui pra Rivera, Uruguai. Exatamente o contrário do que eu imaginava. Nem loja de CD tem lá. A viagem só valeu pelos panchos que eu comi e pela caixa de alfajor que eu comprei. E as coisas nem são tão baratas assim como todo mundo fala.

Ontem comecei a assistir a 2ª temporada de Gilmore Girls. A vantagem em assistir séries que já acabaram é que a gente não fica na espera da próxima temporada.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Cena 1 ~ Novo Servidor

Depois de quase três anos no UOL resolvi mudar para o Blogger. O motivo da mudança? O UOL é um ótimo servidor, mas dá muito trabalho na hora de personalizar o layout. O Blogger é mais simples e tem praticamente tudo pronto.
Bom, isso é tudo por enquanto.

Até mais.