terça-feira, 17 de novembro de 2009

Cena 114

Seus sonhos povoam minha mente, a sua essência me domina. Não controlo mais meus atos. A sua respiração me alimenta e o seu sangue corre em mim.

Dependo da sua existência para viver. Já não sou mais eu... Há tempos eu sou você. Há tempos eu vivo em você, mas você não está aqui.

Tenho vagado por aí tentando me encontrar, mas eu estou em você e não sei onde você está. Sinto a minha falta.

Devolva-me a mim...

Eu não quero mais ter que precisar de você para respirar. Eu quero viver por mim e para mim mesma.

Um dia o sonho acaba, finalmente irei acordar e estarei livre de você.

2 comentários:

Luciana Nogueira disse...

O pesadelo de quem deixa de viver a própria vida em função de alguém que ao menos merece tanto D:

Rener Brito disse...

Deixei uma surpresa para você em meu blog.quando você poder ir lá pegue-o.Um grande abraço.