terça-feira, 15 de setembro de 2009

Cena 58: Ato II - Cena VI: Casa


O Dorminhoco
Brilho – lago de fogo
Linhas me elevam
Minha mente transborda desejo
Confinado e exausto

Viver essa charada
Está me levando a lugar nenhum
Eu não consigo matar essa charada
O sangue frio da cidade me chama pra casa
Casa
É o que eu desejo
Voltar para casa onde eu pertenço

A cidade – Ela me chama
Cenas decadentes da minha memória
Tristeza – Eternidade
Meus demônios estão vindo para me buscar

Socorro – Eu estou caindo, eu estou engatinhando
Eu não consigo me manter afastado de seu domínio
Não posso manter, esta rotina
Me chama de volta para meu lar

O Milagre
Eu lembro da primeira vez que ela veio até mim
Abriu sua alma a noite toda e chorou

Eu lembro que me disseram que há um novo amor que nasce para cada um que morre

Eu nunca imaginei que eu
Poderia seguir com essa vida
Mas eu não consigo resistir a mim mesmo
Não importa o quanto eu tente

Vivendo suas outras vidas
Está levando-os a lugar nenhum
Eu a farei minha esposa
Sua doce tentação me chama pra casa
Casa
É o que eu desejo
Minha casa onde ela pertence

Seu êxtase – significa muito para mim
Mesmo traindo meu próprio sangue
Victoria assiste e atenciosamente sorri
Ela está me levando para minha casa

Socorro – Ele é meu irmão, mas eu a amo
Eu não consigo ficar longe do seu toque
Decepção, desonra
Está me chamando para minha casa

Nicholas
A história dela – possui a chave
Destrancando sonhos da minha memória
Resolvendo esse mistério
É tudo que é uma parte de mim

Socorro – regressão, obsessão
Eu não consigo ficar longe do seu toque
Deixando sem dúvidas, para descobrir
Está me chamando de volta para minha casa

3 comentários:

Dark angel disse...

Olá... Não tens noção de como me didentifico contigo... passo por uma depressão,que já trago dentro de mim há alguns anos sem saber muito bem que a tinha e ao ler os teus posts percebo que há exactamente quem passe pelo mesmo que eu... e que sem dúvida escrever exorcisa alguns dos nossos sentimentos... passa pelo meu blogue... eu seguirei o teu...

Dark angel disse...

Olá... sofrer de depressão é sofrer de algo comum a mais do que imaginas. Identifico-me ctg na íntegra e vou seguir-te, porque sinto que partilhas da escrita como forma de exorcisar medos e dúvidas, anseios e desabafos... tal como eu. Continua a escrever dessa forma que entre o macabro da nossa existência e o sorriso que raramente nos assalta, vai fazendo muitas pessoas encontrarem um espelho nestas vivências. Take care! E passa pelo meu blogue! Bjs.

Camile. disse...

"Socorro – Ele é meu irmão, mas eu a amo
Eu não consigo ficar longe do seu toque
Decepção, desonra
Está me chamando para minha casa"

Digno de novela (e quem disse que eu não gosto?)... A música e a história toda em si é demais!