quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Cena 50: Metropolis Pt. 1: O Milagre e o Dorminhoco

O sorriso do amanhecer
Maio chegou cedo
Ela levou uma dádiva do seu lar
A noite derramou uma lágrima
Para dizê-la do medo
E da tristeza e dor
Ela nunca encolherá

Morte é a primeira dança, eterna

Não há mais liberdade
Ambos estão confinados às suas mentes
Eu disse que há um milagre para cada dia que eu tento
Eu disse que há um novo amor que nasce
Para cada um que morreu
Eu disse que não haveria ninguém para visitar
Quando me sentir sozinho e com medo
Eu disse que se você sonha com um mundo próximo
Você se encontrará nadando em um lago de fogo
Como uma criança, eu pensei que poderia viver
Sem dor, sem tristeza
Mas como um homem
Pensei que tudo partisse de mim
Eu estou dormindo e não tenho mais medo

Em algum lugar como uma cena da memória
Há um mérito descrito em mil palavras
Escapando de encarar os rostos antes de mim
Ele esconderá longe e nunca será ouvido novamente

Engano é o segundo sem final

O sangue frio da cidade ensina-nos a sobreviver
Apenas mantenha meu coração nos seus olhos
E ficaremos vivos

O terceiro chega...

Antes que as folhas caiam
Antes que tranquemos as portas
Precisará haver a terceiro e última dança
Essa única será para sempre
Metropolis assiste e atenciosamente sorri
Ela estará levendo-a para casa

Só poderá levá-lo a um lugar
Quando a luta entre nossas crianças tiver terminado
Agora, o Milagre e o Dorminhoco sabem
Que o terceiro é o amor

O Amor é a Dança da Eternidade

2 comentários:

Camile. disse...

Essa música é genial. FATO.

Moll Fry disse...

Nossa... muito massa, adorei...