quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Cena 36: Morte

Três tipos de morte podem ser experimentadas: morte por velhice ou doença; morte a serviço de uma causa; morte como a ponte de ligação com um litoral que está mais adiante.
Todos morrem a primeira; muitos estão preparados para morrer a segunda; porém a terceira só não está disponível para aqueles poucos nos quais a morte desta já vive como experiência, promessa e lei interior.

2 comentários:

"laion"... disse...

Mesmo sendo encarada como uma "ponte de ligação com um litoral que está mais adiante", prefiro não ter que atravessá-la tão cedo (rsrsrs).
Tainã, gosto da sensibilidade dos seus pensamentos. Desejo compartilhar com você um artigo que li recentemente no site Esperança, que mostrou-se muito coerente ( http://www.esperanca.com.br/novo/?p=188 ).
Acredito ser um complemento útil à sua postagem, muito verdadeira por sinal.

Edson Carmo disse...

A morte é um parto. A terra é um grande útero, uma placenta. Nenhum bebê fica para sempre no ventre materno - todos têm de sair de lá um dia!

Edson Carmo