terça-feira, 28 de julho de 2009

Cena 17: Algumas frases de Diogo Mainardi (concordo com todas)

- Chega de exaltar hipocritamente o debate de idéias. Onde já se viu um político brasileiro dotado de idéias?

- A leitura é um fetiche nacional. Atribuímos grande importância a leitura. Desde que sejam os outros a ler.

- O hábito da leitura constitui o maior obstáculo para a ascensão social e o poder pessoal no Brasil.

- Duvido que um dia o Brasil venha a se tornar uma nação letrada. Se por acaso isso acontecer, os brasileiros lerão os livros errados. Se calharem de ler os livros certos, não conseguirão entender uma palavra do que leram.

- O Brasil tem mais de trinta leis de incentivo à cultura. É incentivo demais e cultura de menos.

- Cinema nacional é mesmo uma coisa triste.

- Arte não é feita para ser vendida.

- Em todas as circunstâncias da vida, eu gostaria de ter uma pulseirinha vip, que me assegurasse abrigo contra intempéries, distância do povo e alguém para pagar minhas contas.

- O melhor serviço que Gil pode prestar a cultura brasileira é parar de cantar.

- O Brasil deveria desistir dessa bobagem de querer ter uma cultura. Ninguém ia notar a falta.

- O PT gosta de folclore. Mussolini também gostava. Hitler também gostava. Stalin também gostava. Folclore é coisa de regimes nacionalistas e totalitários. Até hoje funciona assim.

- O Brasil é mesmo o fim da picada.

- Escola não serve pra nada. A importância do ensino para o avanço social é uma mistificação que deve ser combatida. Eu nunca gostei de estudar.

- Atenção: sempre que um petista usar o termo cidadão, é porque ele quer meter a mão no seu dinheiro.

- Quando o poder público não sabe resolver um problema, como a criminalidade ou a miséria, recorre sempre a educação. A educação é o principal mito paralisante do Brasil, o argumento que sufoca todos os demais. Se os políticos parassem de usar a educação para encobrir a sua incompetência e inoperância, o Brasil teria alguma chance de ir para a frente.

- As empresas estatais sempre constituíram um precioso reservatório de cargos para a barganha política.

- Lula é uma espécie de bispo Edir Macedo da política.

- É desagradável dizer uma coisa dessas, mas o jeito mais eficiente de ser oposicionista no Brasil, neste governo ou nos anteriorers, é sonegar impostos.

- A convicção simplória de que todos os políticos são enganadores precisa ser restaurada urgentemente.

- Um dos trunfos da Igreja Universal é a incorporação das técnicas dos programas de auditório. Os pastores sempre invocam aplausos para Jesus Cristo, como num show de calouros.

- De acordo com Edir Macedo, quando somos fiés ao dizimo, vemos-nos livres do sofrimento. Uma espécie de Baú da Felicidade do espírito.

- Graças aos votos de seu rebanho de pobres, os avangélicos também puderam eleger uma poderosa bancada parlamentar.

- Qualquer um pode atribuir-se milagres em nome de Deus. E, em nome de Deus, qualquer um pode enfiar a mão no bolso dos outros.

- A principal causa do fracasso nacional é o otimismo psicótico dos brasileiros.

- Futuro? Que futuro? O Brasil não tem futuro. Daqui a quinze anos, estaremos no mesmo buraco de agora.

- Sem diminuir o Estado, nunca iremos crescer. Não foi apenas o comunismo que morreu na queda do Muro de Berlim: a social-democracia também morreu.

- Saddam Hussein foi o maior importador de armas fabricadas no Brasil. Por isso perdeu todas as guerras em que se meteu.

- Um jeito simples e rápido de poupar dinheiro público é abolir o serviço militar obrigatório.

- Os países ricos não são ricos por acaso. São ricos porque sabem ganhar dinheiro.

- Eu sempre digo que, se todos os brasileiros concordam com algo, significa que esse algo só pode estar muito errado.

- Não existe preto, branco nem amarelo. Ou dividimos a humanidade em mais de mil etnias e línguas, ou acabamos com a classificação por raças, admitindo que somos todos parentes.

- O melhor jeito para acabar com o racismo no Brasil é eliminar o critério de raça. O movimento negro sempre lutou para que os negros se orgulhassem da sua própria cor. Eu aboliria essa idéia. Aboliria o Dia Nacional da Consciência Negra, a política de cotas, as ações afirmativas.

- O barroco brasileiro nunca foi nem será arte.

- De fato, o site oficial do Exército Brasileiro reconstrói da seguinte maneira nosso último golpe militar. 'Eufórico, o povo vibrou nas ruas com a prevalência da democracia, restabelecida com a vitória do movimento de março de 1964'. Um curioso conceito de democracia.

- É bom desconfiar de quem se diz patriota. Assim como é bom desconfiar de quem se diz democrático. Aliás, desconfie de tudo.

- Falar mal das pessoas é muito mais gratificante do que falar bem. Eu, se pudesse, só falaria mal.

- Até outro dia, meu filho só comia lendo seus livros. Agora ele prefere ver minha sobrinha cantar e dançar em cima da mesa, imitando Wanessa Camargo. Estamos todos perdidos.

- Os jogadores de futebol são a melhor demonstração da mobilidade social brasileira. Por mais pernas-de-pau que sejam, comportam-se de maneira altiva, como uma casta superior, evitando se misturar com o resto da gentalha, perfeitamente conscientes de que são eles que ditam a moda e as regras gramaticais.

- É a característica geral do país: camuflamos nosso mercenarismo com singelos diminutivos. O policial nunca cobra um suborno, mas uma 'ceverjinha'. O fiscal da prefeitura leva uma 'caixinha'. O político dá uma 'azeitadinha'. Ninguém se corrompe de forma direta, metódica, profissional. A gente é diletante até pra se vender.

- Chegamos a um ponto em que os mercenários entrangeiros poderiam ser mais confiáveis do que a polícia. Poderiam nos proteger melhor.

- Os compositores de música popular, agora, publicam livros com todas as suas letras. Quem consegue compreender o significado dessas letras nunca irá aprender a construir uma ponte, ou planejar o escoamento de um milharal, ou a obturar um dente cariado.

- Quem não está acostumado a argumentar é facilmente enganado. Por isso o Brasil não funciona.

- Lição número 1: não escreva. Lição número 2: se realmente tiver de escrever, 'trate o resto da humanidade aos tapas e pontapés'.

- A ambição é conceber uma verdade irrefutável, universal, eterna, de sabor bíblico, resumindo o dogma literário a uma única sentença, simples e linear: Quando a literatura não mata a humanidade, é a humanidade a matar a literatura.

- Eu fui convidado para falar sobre Ivete Sangalo no programa do Faustão. Não pude aceitar porque não sabia quem era Ivete Sangalo. Depois me informei. É aquela do comercial da Chevrolet.

- Futebol emburrece: é a coisa mais estupidificante que existe.

- O Brasil é o país do futuro. A gente não vai melhorar. São os outros que vão piorar.

- Eu sempre tive uma opinião muito mais negativa a meu respeito do que a maior parte dos meus detratores. Isso ajuda a não perder de vista a minha insignificância.

- O Brasil é um prato cheio para o sarcasmo e a avacalhação.

6 comentários:

Mariposo-L disse...

OLha concordo com tudo que você escreveu, mas vou apenas comentar a educação . Educação que não se tem mais nesse pais, pois acho que a idéia é povo burro, povo manipulável! Ser brasileiro é castigo !

bjs

Leo Yk disse...

Aya!
Se você realmente concorda com a maioria das coisas que escreveu ai, nem vou perguntar se gosta do Brasil...xD

Eu tb concordo com muita coisa..mas morando fora do Brasil há quase 15 anos, eu não acho que faria diferença se houvesse alguma mudança.
Mas eu queria sim que o Brasil mudasse...
Estou seguindo.
Bjs

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Anônimo disse...

O Mainardi é um gênio. Um dos poucos que ainda resistem nesse "Braziu"...

Gilberto Maia disse...

Perdão, mas esse Mainardi é um imbecil. Pode até ter razão em uma coisa ou outra, mas cultuar uma pessoa nociava assim é temerário.

Anônimo disse...

Mainardi é o cara! Corajoso até o talo!!!! Sem medo do "politicamente correto", sem precisar fazer média. Dizer na lata as maiores verdades sobre esse país. Para alguns hipócritas um imbecil ouno mínimo antipático. Para mim...um gênio.